Minas Gerais Mandante de morte de grávida pode ter relação com sequestro de outros bebês

Mandante de morte de grávida pode ter relação com sequestro de outros bebês

Polícia investiga relação da cabeleireira com sequestro que aconteceu no início do mês em Uberlândia (MG)

Mandante de morte de grávida pode ter relação com sequestro de outros bebês

Shirley estaria simulando uma gravidez para o namorado

Shirley estaria simulando uma gravidez para o namorado

Record Minas

A Polícia Civil suspeita que a cabeleireira Shirley Benfica, de 30 anos, apontada como mandante da morte da jovem grávida, em Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, teria ligação com o sequestro de outras crianças. Um deles aconteceu no início deste mês, na cidade de Uberlândia, também no Triângulo Mineiro.

De acordo com a polícia, um casal chegou até uma casa, por volta das 19h30, em uma sexta-feira, e raptou uma menina de dois meses de vida, que estava dormindo no carrinho de bebê. Durante a ação, o homem teria, ainda, batido na irmã mais velha da criança que apareceu na varanda para ver o que estava acontecendo. Testemunhas informaram à polícia que a outra pessoa que estava com o suspeito seria um travesti.

A Polícia Civil continua as investigações para averiguar a relação de Shirley com o crime.

Relembre o caso

Shirley Benfica é acusada de ser a mandante da morte da grávida Greiciara Bello Viera, de 19 anos, da cidade de Uberlândia, no Triângulo Mineiro. A jovem foi encontrada morta, sem o bebê, dentro de uma represa em Ituiutaba, a 130 quilômetros de Uberlândia, no último domingo (21).

De acordo com as investigações da polícia, a cabeleireira simulou uma gravidez para o namorado e estava em busca de uma criança para apresentar como filha. Assim, ela teria solicitado a ajuda de suas amigas para conseguir um bebê. Uma delas, a transexual conhecida como Mirella, disse que saberia de uma forma. Mirella era conhecida da vítima e teria marcado um encontro com ela para entregar um presente para o bebê. Depois disso, Greiciara não foi mais vista.

Leia mais notícias no Portal R7

Os transexuais Mirella, de 22 anos, Yasmim, de 24 anos, a enfermeira Jacira dos Santos de Oliveira, de 60 anos, e a cabeleireira Shirley Benfica foram presos pela morte de Greiciara. Segundo a polícia, Shirley pagaria pela criança com apliques de cabelo e com um celular, que custa aproximadamente R$ 3 mil.

Os quatro vão responder pelos crimes de homicídio duplamente qualificado, sequestro, ocultação de cadáver e subtração de incapaz.