Marcelo Matte deixa Secretaria de Cultura após 13 meses no cargo

Governo afirma que jornalista pediu para sair da equipe de Zema por “motivos pessoais”; Matte diz que fez bom serviço apesar de "orçamentos destroçados"

Marcelo Matte ficou 13 meses no cargo

Marcelo Matte ficou 13 meses no cargo

Divulgação / Governo de MG

O jornalista Marcelo Matte, de 66 anos, deixou o cargo de secretário de Estado de Cultura e Turismo, após 13 meses ocupando o posto na equipe de Romeu Zema (MG). A exoneração foi divulgada no Diário Oficial de Minas Gerais, neste terça-feira (24).

Segundo o Governo, a decisão segue um pedido de Matte, que alegou “motivos pessoais”. O agora ex-secretário não esclareceu à reportagem o motivo da saída, mas enviou nota declarando que segue à disposição da gestão Zema para ajudar “quando entenderem necessário”.

No texto, o jornalista destacou os projetos que desenvolveu enquanto esteve à frente da pasta, como a realização de obras no Palácio das Artes e a defesa de políticas públicas e das leis de incentivo. “Considerando o que encontramos - orçamentos destroçados, instalações precárias, dívidas, acho que fizemos boas entregas”, avaliou Matte.

Marcelo Matte ainda aproveitou para agradecer ao governador, vice e aos demais secretários pelo apoio e o trabalho realizado.

Procurado, o Governo de Minas informou que ainda não tem o nome do substituto de Matte e que o novo ocupante do cargo será anunciado “no momento oportuno.

Mudanças

Esta não foi a primeira troca no secretariado de Romeu Zema. Um mês após assumir o cargo, o então secretário de Saúde Wagner Eduardo Ferreira pediu afastamento e foi substituído pelo médico Carlos Eduardo Amaral.

Em agosto de 2019, Custório Mattos deixou a Secretaria de Governo e deu lugar ao deputado federal Bilac Pinto (Dem), que por sua vez pediu para sair no início de março deste ano, em meio a uma batalha da gestão para aprovar um reajuste salarial para os servidores da Segurança.

Para o lugar de Bilac, Zema convocou o então secretário-geral de Estado, Igor Eto, e convidou o vereador Mateus Simões (Novo) para ocupar a Secretaria-Geral. 

Confira a íntegra da nota do Governo de MG:

“Marcelo Matte deixou hoje o cargo de secretário de Cultura e Turismo de Minas Gerais. A exoneração foi publicada no Diário Oficial e ocorre a pedido do ex-secretário, que alegou motivos pessoais. O governador Romeu Zema agradece os serviços prestados por Matte em prol do desenvolvimento cultural e das potncialidades turísticas do Estado. No momento oportuno, será anunciado o substituto para o cargo.”

Confira a íntegra da nota de Marcelo Matte:

“Sobre minha exoneração, que está sendo publicada hoje no Diário Oficial: agradeço ao governador Romeu  Zema - a quem aprendi a admirar pela honestidade, talento e boa fé - a irrestrita confiança e a compreensão.

Ao vice-governador e amigo Paulo Brant, agradeço o convite, a convivência fraterna e o apoio na construção de uma agenda mais ampla, para além da Cultura, considerando todos os desafios de Minas e do País. Em nome do querido Secretário de Planejamento, Otto Levi, cumprimento todos os secretários e funcionários do governo, incluindo minha competentíssima e entusiasmada equipe.

Foi um ano de muito trabalho, vitórias e alegrias. Defendemos, desde o primeiro dia, a preservação das políticas públicas, das leis de incentivo, do patrimônio histórico, cultural e de todos os equipamentos - fundações, museus, bibliotecas, arquivos e emissoras de rádio e televisão. E também a distribuição justa e democrática dos recursos, o entendimento de que o fomento à cultura é dever constitucional do Estado.

Com esses valores e princípios definimos, de forma participativa, um planejamento estratégico detalhado, incluindo metas e objetivos, apresentado duas vezes à Assembleia Legislativa para correções e debates.

Considerando o que encontramos - orçamentos destroçados, instalações precárias, dívidas, acho que fizemos boas entregas. Aproveitamos a reforma administrativa para mudar praticamente todas as posições de liderança, contratando os melhores profissionais de mercado sem aparelhamentos ou quaisquer outros interesses. Reformas e obras estão em andamento no Palácio das Artes e na Biblioteca Pública Estadual.   

Licitações estão abertas para equipar museus e igrejas com equipamentos de prevenção de incêndio e roubos, reformar o vapor Benjamin Guimarães, fomentar culturas populares, priorizando municípios de baixo IDH. Criamos cursos de capacitação e treinamento de agentes culturais e de turismo. Com as secretarias de meio ambiente e obras, iniciamos o processo de concessão de Parques estaduais.

Com a Codemge, concluímos a licitação do Minascentro, abrimos para visitação o Palácio Mangabeiras, distribuímos instrumentos para bandas musicais do interior, selecionamos a empresa para gestão da Sala Minas Gerais e Orquestra Filarmônica.

Com verbas incentivadas e parcerias privadas, apoiamos e realizamos festivais e eventos de gastronomia, cinema, literatura, música, artesanato e manifestações diversas de arte, cultura e turismo. Bons projetos estão em andamento, como a Empresa Mineira de Comunicação, o cabeamento subterrâneo para cidades históricas, a orquestra popular, infraestrutura de acesso a Brumadinho e outros.

Continuo à disposição dos caríssimos Romeu Zema, Paulo Brant e Otto para ajudar,  quando entenderem necessário."