Minas Gerais Motorista baleado por PM ainda não sabe que perdeu um olho devido ao disparo

Motorista baleado por PM ainda não sabe que perdeu um olho devido ao disparo

Família foi informada pela equipe médica de que o motorista terá sequelas neurológicas; audiência de custódia do militar acontece nessa segunda (02) 

  • Minas Gerais | Maria Luiza Reis, Do R7, com Kiuane Rodrigues, da Record TV Minas

Motorista está internado no Hospital João 23

Motorista está internado no Hospital João 23

Reprodução/Record TV Minas

O motorista de aplicativo que levou um tiro no rosto de um policial militar à paisana durante uma briga de trânsito, no último sábado (30), ainda não sabe que perdeu um olho devido ao disparo. A prima de Bruno Adão Gomes da Silva, de 33 anos, contou, nesta segunda-feira (02), que o motorista acredita estar com o olho apenas inchado. 

Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram

A vendedora Camila Torres contou ao jornalismo da Record TV Minas que o primo ainda não sabe da gravidade do ferimento. Segundo ela, a família foi informada pela equipe médica de que o motorista terá sequelas neurológicas. Os familiares se preocupam em como será a reação do motorista e pedem por justiça. “A gente só quer justiça. Quem deveria estar nos protegendo, está usando a farda para fazer isso. Não existe lesão corporal com arma de fogo. Quem usa arma de fogo para fazer lesão corporal?”, desabafou a prima. 

O advogado da família, Gilmar Francisco, também informou que entrará com um pedido para ser revista a tipificação do crime e que o militar responda por crime de dano a propriedade particular, tentativa de homicídio, e comunicação falsa de crime. O pedido do advogado será feito durante audiência de custódia do militar, marcada para acontecer na tarde desta segunda.

A família de Bruno também planeja realizar uma manifestação na porta do fórum pedindo por justiça. 

Relembre o caso

O policial militar Aldir Gonçalves Ramos, de 41 anos, foi preso em flagrante pelo crime de lesão corporal, no último sábado (30), após atirar contra o motorista Bruno Adão Gomes da Silva, de 33 anos, durante uma briga de trânsito, na região da Pampulha, em Belo Horizonte. 

O cabo da PM e estava de folga e à paisana no momento do crime. Em nota divulgada pela PM foi informado que, após a briga, o militar foi conduzido à Delegacia da Polícia Civil, por tratar-se de crime comum e não militar. A polícia informa ainda que a Corregedoria da instituição acompanha o caso.

Veja vídeo: 

Últimas