Minas Gerais Vale tem 17 estruturas sem garantia de estabilidade em Minas Gerais

Vale tem 17 estruturas sem garantia de estabilidade em Minas Gerais

Mineradora não conseguiu a renovação da licença de diques e barragens junto à Agência Nacional de Mineração; 80 estruturas foram renovadas

Ao todo, 17 estruturas da Vale não tem estabilidade garantida

Ao todo, 17 estruturas da Vale não tem estabilidade garantida

Reuters / Washington Alves - 13.02.2019

A Vale não renovou a declaração de estabilidade de oito estruturas em Minas Gerais. Com isso, já são 17 as barragens ou diques que não tem a segurança garantida pela empresa.

O prazo para renovação das DCEs (Declaração de Condição de Estabilidade) junto à ANM (Agência Nacional de Mineração) terminou neste domingo (31). Sem o documento, as estruturas correm risco de serem interditadas pelo órgão.

A Vale informou, em nota, que as estruturas construídas a montante e cujos níveis de emergência já tinha sido elevados para dois ou três não tiveram suas DCEs renovadas. São elas: barragem Sul Superior, barragens B3/B4, barragem Vargem Grande, barragens Forquilha I, Forquilha II, Forquilha III e Grupo. 

Além destas, a mineradora responsável pelo rompimento da barragem 1 da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, no dia 25 de janeiro deste ano, também não atestou a estabilidade de outras dez estruturas, entre diques e barragens. São elas: Dique Auxiliar da Barragem 5, da Mina de Águas Claras; Dique B e  barragem Capitão do Mato, da mina de Capitão do Mato; barragem Maravilhas II, do complexo de Vargem Grande; dique Taquaras, da mina de Mar Azul;  barragem Marés II, do complexo de Fábrica; barragem Campo Grande, da mina de Alegria; barragem Doutor, da mina de Timbopeba; Dique 02 do sistema de barragens de Pontal, do complexo de Itabira; Barragem VI, da mina do Córrego de Feijão

Segundo a empresa, elas tiveram nível de emergência elevado para 1, o que ainda não requer a evacuação das pessoas que vivem nas Zonas de Autossalvamento, áreas próximas das barragens e que são atingidas mais rapidamente, em caso de eventual rompimento. A evacuação é requisitada a partir do nível de alerta 2. 

Segurança

De acordo com a Vale, "auditores externos reavaliaram todos os dados disponíveis das estruturas e novas interpretações foram consideradas em suas análises para determinação dos fatores de segurança, com a adoção de novos modelos constitutivos e parâmetros de resistência mais conservadores." 

A mineradora disse estar seguindo as orientações do poder público, em espacial da ANM e "já está planejando medidas de reforço para o incremento dos fatores de segurança destas estruturas".

"A perda das DCEs das estruturas mencionadas acima não agrava seu fator de segurança. A Vale reitera que sua prioridade é com a segurança de todas as suas estruturas e, consequentemente, da população e trabalhadores a jusante. A produção dessas localidades somente será retomada quando a segurança das estruturas estiver assegurada", diz a Vale em nota. 

Conforme a empresa, foram renovadas outras 80 declarações de estabilidade. 

Confira as barragens da Vale que não possuem declaração de estabilidade:

1) barragem Sul Superior (mina de Gongo Soco), em Barão de Cocais;
2) barragens B3/B4 (mina de Mar Azul), em Nova Lima;
3) barragem Vargem Grande (Complexo de Vargem Grande), em Nova Lima: 
4) barragem Forquilha I (complexo de Fábrica), em Ouro Preto;
5) barragem Forquilha II (complexo de Fábrica), em Ouro Preto: 
6) barragem Forquilha III (complexo de Fábrica), em Ouro Preto;
7) barragem Grupo (complexo de Fábrica), em Ouro Preto;
8) dique auxiliar da barragem 5 (mina de Águas Claras), em Nova Lima;
9) dique B (mina de Capitão do Mato), em Nova Lima;
10) barragem Capitão do Mato (mina de Capitão do Mato), em Nova Lima;
11) barragem Maravilhas II (complexo de Vargem Grande), em Nova Lima;
12) dique Taquaras (mina de Mar Azul), em Nova Lima;
13) barragem Marés II (complexo de Fábrica), em Ouro Preto;
14) barragem Campo Grande (mina de Alegria), em Mariana;
15) barragem Doutor (mina de Timbopeba), em Ouro Preto;
16) dique 02 do sistema de barragens de Pontal (complexo de Itabira), em Itabira; 17) barragem VI (mina do Córrego de Feijão), em Brumadinho;