O primitivismo é o pai da violência

A selvageria dos protestos no Chile é indefensável

A impaciência da esquerda chilena está na origem de mais uma onda de manifestações violentas Foto: Ivan Alvarado/Reuters

A impaciência da esquerda chilena está na origem de mais uma onda de manifestações violentas Foto: Ivan Alvarado/Reuters

Ivan Alvarado/Reuters - 18.10.2020

Sempre indesejado, é na maioria das vezes injustificável o uso da violência para alcançar objetivos  políticos.  Num regime democrático, esse equívoco brutal é sobretudo incompreensível. Veja-se o caso do Chile. O presidente Sebastian Piñera foi eleito pelo voto direto e governa o país pela vontade popular. Como não cometeu nenhum crime que deva ser punido com a perda do cargo, resta aos insatisfeitos com seu desempenho tentarem vencer a próxima eleição. Interromper seu mandato pela força é golpe.

A impaciência da esquerda chilena está na origem de mais uma onda de manifestações violentas. O cenário composto por templos religiosos em chamas, estações de metrô destruídas e vitrines em cacos sugere que, na segunda década do terceiro milênio, não faltam militantes ainda convencidos de que, como pregava Karl Marx, a violência é a parteira da História. Talvez tenha sido em outros séculos. Hoje, protestos selvagens são apenas um sintoma alarmante de primitivismo . O que muda um país e melhora o mundo é o constante aperfeiçoamento do Estado Democrático de Direito.

Últimas