[Avaliação] Fiat Toro tem novo visual enquanto espera motor turbo 

Com visual, emblema e interior com elementos na cor preta a picape chega a R$ 114,9 mil

A Fiat trouxe para o mercado em 2016 a Toro, uma picape com porte e dirigibilidade de modelos SUV. Feito para quem compra utilitário esportivo mas gosta de uma caçamba ela conquistou seu lugar. De janeiro a agosto deste ano a Fiat já vendeu 40.197 unidades, enquanto a Renault comercializou 8.097 unidades da Duster Oroch, seu principal concorrente. 

Fiat Toro ganha pacote SDesign

Fiat Toro ganha pacote SDesign

Marcos Camargo

Com os bons números, a Fiat resolveu lançar versões com mais equipamentos enquanto não ficam prontos os motores 1.0 e 1.3 turbo que chegam ano que vem. É o caso da versão S Design 2020, que chega ao mercado equipada com itens na cor preta e preços a partir de R$ 114,9 mil. O R7 levou a picape para as pistas e avaliou o que mudou na versão.

Visual

O pacote S Design é aplicado na versão Freedom, seja com motor 1.8 flex ou 2.0 turbodiesel. Por R$ 5 mil, o pacote S-Design adiciona interior com colunas e teto escurecidos, faixas no capô e na tampa da caçamba, identificação do modelo e motorização escurecidos, santantonio e estribos em preto, rodas e detalhes externos escurecidos, bancos em tecido e couro, molduras do interior em cor específica, laterais de porta em couro e apoio de braço central.

O pacote S Design é aplicado na versão Freedom, seja com motor 1.8 flex ou 2.0 turbodiesel.

O pacote S Design é aplicado na versão Freedom, seja com motor 1.8 flex ou 2.0 turbodiesel.

Marcos Camargo

Fora do Brasil, a Fiat já usa o pacote S Design em modelos como 500X, 124 Spider e no Tipo europeu. Sem falar nas marcas que usam a inspiração da cor preta para carros de vários segmentos como a Chevrolet Tracker e S10 Midnight e a própria Fiat com o Argo Trekking.

Como anda

Como o motor flex testado é o mesmo, as características são mantidas na linha 2020. A versão testada pelo R7 tinha o conhecido motor 1.8 e-torQ de 139cv. Vamos por partes, em relação a saídas e retomadas, o carro pede mais fôlego pois o motor é fraco para movimentar os 1.836kg da picape. Assim o câmbio automático de seis velocidades faz o possível para aproveitar a potência do motor. A segunda e terceira marcha demoram para evoluir e se o condutor não usar as aletas ou o comando manual do câmbio, o giro sobe e chega a incomodar. Apesar disso, justiça seja feita, a Toro entrega conforto na suspensão mas é mesmo produzida para passear.

Com os bons números, a Fiat resolveu lançar versões com mais equipamentos enquanto não ficam prontos os motores 1.0 e 1.3 turbo

Com os bons números, a Fiat resolveu lançar versões com mais equipamentos enquanto não ficam prontos os motores 1.0 e 1.3 turbo

Marcos Camargo

Em relação ao consumo, sem mudanças mecânicas ela também não apresentou números melhores. Rodamos por trechos urbanos abastecidos com álcool e gasolina. No etanol registramos uma média 5,9km/l, já na gasolina marcamos uma média de 7,2km/l.

Apesar do motor ser o ponto a ser observado sobre o carro, o conforto e espaço interno compensam tudo isso. O visual escurecido deixou o modelo ainda mais interessante que o cansado cromado. Há porta objetos, inclusive sob o banco do passageiro e o acabamento é bom. Por fora o Santantonio plástico transmite uma certa robustez enquanto o para-choque que ganhou um mata-cachorro tem efeito meramente decorativo.

A posição dirigir tem o banco um pouco acima do volante, o que dá uma sensação de estar guiando o Jeep Compass

A posição dirigir tem o banco um pouco acima do volante, o que dá uma sensação de estar guiando o Jeep Compass

Marcos Camargo

A posição dirigir tem o banco um pouco acima do volante, o que dá uma sensação de estar guiando o Jeep Compass que empresta à Toro sua plataforma.

Equipamentos

De série o modelo vem equipado com ar-condicionado, direção elétrica, câmbio automático com seis, tração 4×2, vidros elétricos nas portas dianteiras e traseiras, LEDs diurnos, lanternas em LED, rodas de aço ou liga leve aro 16 polegadas, sistema de áudio com Bluetooth/USB/auxiliar, botão Sport, Start&Stop, computador de bordo, retrovisores elétricos, capota marítima, sensor de pressão dos pneus, coluna de direção ajustável, indicador de mudança de marcha no painel, Isofix, airbag duplo, freios ABS com EDB, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, entre outros.

De série o modelo vem equipado com ar-condicionado, direção elétrica, câmbio automático com seis, tração 4×2 e muito mais.

De série o modelo vem equipado com ar-condicionado, direção elétrica, câmbio automático com seis, tração 4×2 e muito mais.

Marcos Camargo

Conclusão

A Fiat Toro agrada consumidores que gostam de SUV mas não abrem mão de um grande porta-malas, já que a picape tem capacidade para carregar até 820 litros. O acabamento é bom, há elementos que remetem a uma picape de maior porte e a Toro entrega o que seus clientes buscam: conforto de um SUV é bom nível de equipamentos.


Assim, desconsidere as limitações do motor flex se você chegou até ela em busca de conforto e versatilidade.


Portanto, a Toro Flex será uma ótima opção para quem não abre mão de conforto e espaço mas não faz questão de potência e desempenho e também não demanda capacidade off road. A Toro ainda impressiona e por isso vende tanto.

*Com a colaboração de Guilherme Magna