Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Autos Carros
Publicidade

Ford já começou a produzir motores para a Ranger na Argentina

Motores para a picape deixarão de ser importados da Inglaterra conforme investimento anunciado em 2023

Autos Carros|Marcos Camargo JrOpens in new window

Lançada há um ano no Brasil, a nova geração da Ford Ranger passará a ter os motores produzidos também na fábrica de General Pacheco, região de Buenos Aires, na Argentina, fruto de um investimento de US$ 660 milhões (R$ 3,3 bilhões). Somente na parte de motores foram investidos US$ 80 milhões (R$ 408 milhões). A nova Ranger recebia os motores importados da Inglaterra.

Fábrica da Ford na Argentina (Ford Divulgação) Unidade irá nacionalizar produção dos motores Lion 3.0 V6

De acordo com sites locais, a nacionalização dos motores da Ranger irão permitir um aumento do volume de produção em 15% este ano. A marca pretende alcançar 63.000 unidades da Ford Ranger produzidas. No entanto, não sabemos como será a nacionalização dos motores 2.0 turbodiesel ou 3.0 V6 Lion usados na picape.

Teste com a Ranger Raptor: 397cv com desempenho de carro esportivo (Foto: Marcos Camargo Jr.)

O anúncio da nacionalização de motores foi feito ainda em março de 2023. Agora, os novos motores serão feitos também na unidade de Pacheco junto com todos os componentes da picape seguindo conceitos de manufatura 4.0.

Fábrica da Ford na Argentina (Ford Divulgação) Unidade irá nacionalizar produção dos motores Lion 3.0 V6

Na ocasião do lançamento da nova Ranger, a Ford mostrou partes do processo de manufatura como a estamparia e montagem.

Publicidade
Ford Ranger em linha de produção na Ford em General Pacheco
Ford Ranger em linha de produção na Ford em General Pacheco Ford Ranger em linha de produção na Ford em General Pacheco

Com os motores feitos na Argentina a fábrica irá completar um ciclo de investimentos na região. Hoje, 70% da produção da Ford Ranger é destinada à exportação para os países da América do Sul, incluindo o Brasil.


Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.