Blog do Nolasco Governo descarta racionamento, foco é reduzir o consumo

Governo descarta racionamento, foco é reduzir o consumo

Medidas em fase de elaboração querem estimular grande consumidores a reduzir o consumo nos horários de pico

  • Blog do Nolasco | Thiago Nolasco, da Record TV

Linhas de transmissão de energia elétrica em Brasília

Linhas de transmissão de energia elétrica em Brasília

Ueslei Marcelino/Reuters - 25.03.2021

Mesmo diante da maior crise hídrica já registrada no país em 91 anos, o Ministério de Minas e Energia e a ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica, não trabalham com a possibilidade de racionar energia como aconteceu no início dos anos 2000. Todo o parque termoelétrico, composto por usinas movidas a gás natural e a óleo diesel está em funcionamento e será assim até outubro quando são esperadas as chuvas. Hoje as termelétricas são responsáveis por 25% da nossa capacidade de geração de eletricidade.

O resultado disso é que a bandeira vermelha, patamar 2, em vigor neste momento no país, será reajustada acima de 20%. Na semana que vem a ANEEL, em reunião da diretoria, define o novo valor da bandeira mais alta no país e que é reflexo do acionamento das termelétricas.

O Governo e a Agência preparam medidas para conter o consumo. O foco serão as indústrias e grandes consumidores como as empresas que produzem cerâmica e vidro. A ideia do Ministério de Minas e Energia e da ANELL é dar um incentivo ao consumo consciente para que as empresas desloquem a produção nos horários de pico no início da noite. As fábricas responsáveis pelo grande consumo, costumam a trabalhar até em 3 períodos e o objetivo é fazer com que os empresários mudem os horários de funcionamento de forma voluntária para que consigam por exemplo, redução de tarifa.

Últimas