Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Conta em Dia
Publicidade

Restituição do IR 2024 será usada para pagar dívida por 30% dos brasileiros

Segundo pesquisa da Serasa, 57% receberão um valor de até R$ 1.000; calendário de pagamento vai até 30 de setembro

Conta em Dia|Ana VinhasOpens in new window

Restituição do Imposto de Renda 2024 começa a ser paga em 31 de maio

Após a liberação do primeiro lote de restituição do Imposto de Renda 2024, na última sexta-feira (31), 9,5 milhões de contribuintes receberam o pagamento. Segundo pesquisa da Serasa, 30% dos brasileiros vai utilizar o dinheiro para pagar dívidas.

Outros 43% afirmam que costumam usar os valores recebidos “para se planejar financeiramente” e 21% pretendem transformar a restituição em “alguma forma de investimento”. Entre as pessoas que têm dinheiro a receber, 57% receberão um valor de até R$ 1.000.

“A restituição do Imposto de Renda pode ser uma aliada para aqueles que precisam de alternativas para quitar suas dívidas e tirarem seus nomes dos cadastros de inadimplência”, explica Patrícia Camillo, especialista em educação financeira da Serasa.

“É importante levar em conta três pontos: 1) quais os seus débitos em aberto; 2) quais os seus débitos de vencimento mais próximo; 3) e quais as contas que os credores oferecem boas condições de negociação”, sugere Patrícia. “Defina as prioridades e quite essas dívidas antes que elas aumentem de valor”.

Publicidade

Quem ainda não recebeu terá outas quatro oportunidades. O calendário de devolução vai até 30 de setembro:

1º lote – 31 de maio

Publicidade

2º lote – 28 de junho

3º lote – 31 de julho

Publicidade

4º lote – 30 de agosto

5º lote - 30 de setembro

Comportamento do contribuinte

A pesquisa mostrou também que 44% que declararam o Imposto de Renda optaram por contar com os serviços de um contador ou especialista, 14% recorrem a familiares ou conhecidos e 40% preenchem a declaração sozinhos – embora 46% dos que preencheram a documentação, confessam ter “medo de errar” (e ser punido pelo Leão) e 24% dizem ter “dificuldade de compreensão das regras e normas”. Somente 1% dos entrevistados dizem recorrer aos serviços de um advogado tributarista.

Segundo o levantamento, 72% dos entrevistados afirmaram “nunca terem deixado de fazer o IR” e mais da metade “não tiveram dificuldades para se organizar e preencher a declaração”. Entre aqueles que precisam pagar à Receita Federal, 54% colocam o pagamento no débito em conta, sendo que 43% quitarão a dívida com a União à vista.

Pelo menos 44% dos entrevistados consideram que o IR “desempenha papel significativo na distribuição de renda do país”, mas 40% “discordam do processo de declaração e arrecadação do Imposto de Renda”.

A pesquisa foi realizada em parceria com o Instituto Opinion Box e ouviu 1.759 pessoas, entre os dias 7 e 17 de maio de 2024.


Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.