Empreendendo Direito A importância de desenvolver inteligência emocional

A importância de desenvolver inteligência emocional

Pixabay

Você provavelmente já ouviu falar sobre inteligência emocional, certo? No mundo em que estamos vivendo, essa habilidade é cada vez mais importante para a vida pessoal e profissional. A inteligência emocional se refere à capacidade de entender e regular as próprias emoções e sentimentos com o objetivo de melhorar sua relação consigo mesmo e com os outros e tomar decisões de forma saudável.

Hoje, a nossa conversa vai ser sobre a importância da inteligência emocional e como você pode desenvolvê-la e aplicá-la na sua vida! Se você costuma agir por impulso em momentos de tristeza, raiva e felicidade, se acredita que precisa aprender a trabalhar melhor suas emoções e prosperar nas suas relações interpessoais, essa leitura é para você!

O que é inteligência emocional?
Inteligência emocional é o nome dado ao conjunto de competências e habilidades que, quando estão sob seu domínio, te ajudam a entender, nomear e lidar com suas emoções para usá-las a seu favor.

Esse conceito foi discutido inicialmente pelos cientistas Peter Salovey e John D. Mayer, em 1990. Os autores publicaram um artigo na revista científica Imagination, Cognition and Personality, onde apresentaram o conceito, debateram sobre o significado e a função das emoções e apontaram formas de investigar as habilidades sociais e emocionais.

De acordo com Salovey e Mayer, a inteligência emocional compreende quatro domínios básicos: percepção das emoções, uso das emoções, entendimento das emoções e gerenciamento das emoções.

Porém,  o termo “inteligência emocional” só foi popularizado em 1995 por Daniel Goleman, psicólogo, que discutiu o tema de forma acessível em seu livro “Inteligência Emocional”. 

Goleman categorizou a inteligência emocional em cinco habilidades ou pilares:

1. Autoconsciência: reconhecer as próprias emoções;
2. Controle emocional/autorregulação: não basta apenas conhecer suas emoções, é necessário saber controlá-las e lidar com elas;
3. Automotivação: capacidade de redirecionar as emoções para um objetivo específico e motivar a si mesmo;
4. Empatia: reconhecer os sentimentos dos outros e criar empatia por eles;
5. Relacionamentos interpessoais/habilidades sociais: quando se tem empatia pelo sentimento do outro, é possível adquirir habilidades que beneficiam seus relacionamentos e interações sociais.

Qual a importância de desenvolver inteligência emocional?
Todos nós lidamos com desafios no dia-a-dia: objetivos pessoais, carreira profissional, reuniões, família, filhos, amigos, relacionamentos amorosos, saúde, finanças, ansiedade e várias decisões a serem tomadas. Isso acontece porque o ser humano é regido por emoções e elas se manifestam em todas as áreas da nossa vida.

Dessa forma, ter conhecimento e controle das suas emoções e sentimentos é essencial para ter uma vida saudável e manter a sua saúde mental em dia.

Existem inúmeras pesquisas e discussões científicas sobre os benefícios da inteligência emocional. Entre elas, um estudo da Universidade de Harvard, de mais de 20 anos, aponta que esta habilidade está diretamente ligada ao sucesso na vida pessoal, social e profissional.

Entre as vantagens de desenvolver inteligência emocional estão:

● Redução da ansiedade e estresse no dia-a-dia;
● Melhora na capacidade de tomar decisões;
● Aumento da autoestima e autoconfiança;
● Desenvolvimento da capacidade de liderança;
● Superação de barreiras e da autossabotagem;
● Aumento da produtividade;
● Responsabilidade afetiva e empatia;
● Êxito nos objetivos pessoais;
● Sucesso profissional.

Como desenvolver sua inteligência emocional;
Analise seu comportamento e identifique seus pontos fracos e pontos fortes
Assim como Goleman definiu, a autoconsciência é o primeiro passo da inteligência emocional. É necessário fazer constantes avaliações do seu comportamento diante de diferentes situação, de quais são os gatilhos dos seus sentimentos negativos, da forma como você se relaciona com as pessoas do seu convívio diário e praticar diariamente o exercício do autoconhecimento. Apenas com esse entendimento, você aprenderá a lidar com suas emoções, desenvolver seus pontos fortes e administrar bem os seus pontos fracos

Domine suas emoções
Depois de identificar e conhecer suas emoções, é preciso lidar com elas e controlá-las. Cada um tem formas diferentes de lidar com seus próprios sentimentos e de reagir diante de determinadas situações, mas todos precisamos saber agir de forma saudável e responsável, independente do contexto.

Para aprender a controlar suas emoções e evitar a impulsividade, você pode usar estratégias como: meditação, terapia, prática de exercícios físicos, observação do contexto e das situações em que está inserido e aprendizado constante.

Trabalhe suas emoções negativas
Todos nós sentimos raiva, tristeza, mau humor, estresse, insegurança e outras emoções negativas. No entanto, isso não significa que podemos deixar isso dominar nossas vidas. É preciso aprender a contornar e lidar com isso de forma que tais sentimentos não atrapalhem os relacionamentos interpessoais, a vida profissional, a qualidade de vida e a nossa estabilidade. Evite tomar decisões e agir impulsivamente quando estiver em um desses momentos de sentimentos intensos, negativos e excessivos. Entenda que alguns lugares e situações exigem que você permaneça estável e não deixe transparecer suas emoções. Você precisar descobrir suas próprias técnicas para lidar com reações explosivas e sentimentos negativos.

Tenha empatia e humildade
A empatia é um dos pilares da inteligência emocional. Quanto mais praticamos o autoconhecimento, mais conseguimos entender os sentimentos alheios e se colocar no lugar do outro. Ser compreensivo, escutar e respeitar quaisquer pessoas com as quais você se relaciona é fundamental para ter uma vida saudável.

Conheça e respeite seus limites
Todas as pessoas têm seus limites e restrições, tanto físicos quanto emocionais, e isso não é o mesmo que ser incapaz. Você precisa aprender que é importante saber dizer “não” sem culpa, ter consciência de que você tem o direito de discordar e entender quando você chegou no seu limite.

Se forçar a aceitar e entrar em situações que te deixam desconfortáveis, despertam gatilhos e emoções negativas é extremamente prejudicial para a sua saúde mental.

Pratique a resiliência
Quando não temos a inteligência emocional desenvolvida, não sabemos lidar com impactos negativos e situações inesperadas e, assim, absorvemos todos os efeitos desses acontecimentos. Ter resiliência é importante para aprender a reagir diante dessas situações e manter o controle emocional, mesmo quando estamos tristes, frustrados, com raiva, em dias ruins. Mantenha-se firme, focado, aprenda com os seus erros, aceite os seus defeitos, mas sempre trabalhe para fazer om que eles virem qualidades e, não se deixe abalar por fatores que não estão sob seu controle. Tudo isso não vai acontecer da noite para o dia. A resiliência é um exercício diário que, aos poucos, torna-se parte da sua vida e das suas atitudes.

Inteligência emocional na vida profissional
A inteligência emocional não é uma habilidade a ser desenvolvida apenas na vida pessoal. Ela também é uma grande aliada na busca do sucesso profissional. De acordo com um estudo feito por Travis Bradberry e Jean Greaves, no livro “Inteligência Emocional 2.0”, da TalentSmart, a inteligência emocional é responsável por 58% do desempenho profissional. Esta mesma pesquisa aponta que 9 em cada 10 profissionais de alta performance possuem inteligência emocional bem desenvolvida. Entre os que apresentam desempenho inferior no trabalho, apenas 20% possui alta inteligência emocional.

Consequentemente, os profissionais com inteligência emocional desenvolvida têm maiores ganhos financeiros. Ainda segundo o estudo dos autores da TalentSmart (líder mundial em testes, treinamentos e consultoria de inteligência emocional), os profissionais com essa habilidade ganham, em média, US$29 mil (cerca de R$145 mil), por ano, a mais que os profissionais sem muita inteligência emocional.

A valorização da inteligência emocional em empresas de todo o porte resulta em um ambiente de trabalho harmônico e funcional, ganhos efetivos para a organização e para os funcionários e em uma gestão eficiente.

Um profissional com inteligência emocional bem desenvolvida apresenta as seguintes capacidades e características:

● Não deixa as emoções e a vida pessoal impactarem de forma negativa o seu desempenho profissional;
● Se relaciona bem com todos os colegas de trabalho, independente da hierarquia organizacional;
● Tem capacidade de autogestão;
● Sabe dar e receber feedbacks e críticas construtivas;
● Reconhece seu papel na empresa e o valor do seu trabalho;
● Não é excessivamente competitivo, reconhece e respeita o valor de cada um;
● Encara bem os desafios, aproveita as oportunidades e propõe soluções;
● Tem as competências necessárias para atingir sua máxima performance.

Inteligência emocional para empreendedores
A inteligência emocional é um fator essencial e determinante para o sucesso de todos os empreendedores. Ao contrário do que se pode pensar, as emoções estão sim presentes na gestão de um negócio. Afinal, não existe um botão de desligar as emoções e, muito menos, um interruptor para escolher se agora você quer ser indivíduo ou empreendedor. Todos os empreendedores são indivíduos com emoções positivas e negativas e todos os negócios são administrados por esses indivíduos.

No empreendedorismo, é necessário assumir posturas racionais e habilidades técnicas. Porém, ter consciência de que dominar suas emoções, evitar a impulsividade, saber se relacionar e usar a inteligência emocional a favor do seu negócio é imprescindível para alcançar o sucesso como empreendedor.

O bom empreendedor sabe enxergar e aproveitar oportunidades, trabalhar de forma colaborativa, se relaciona bem com sua equipe, implanta a cultura de feedbacks na empresa, inspira liderança nos seus funcionários e sabe lidar com as adversidades do mundo dos negócios. O bom empreendedor têm resiliência, otimismo, criatividade e capacidade de inovação, foco, empatia, tolerância, autocontrole, planejamento, visão e comunicação assertiva.

Todas essas habilidades estão ligadas ao desenvolvimento da inteligência emocional.

Agora, eu quero saber de você.

Você conhece suas emoções e as utiliza a seu favor?

Você tem se relacionado bem com as pessoas ao seu redor? Você controla seus impulsos quando está sob emoções negativas? Como você tem lidado com problemas e adversidades?

Suas emoções são a chave para a felicidade e para o sucesso em qualquer área da sua vida e em qualquer lugar que você vá. Não as esconda, não as subestime, não as deixe de lado.

Aprenda a lidar com todas as suas emoções de forma saudável e construtiva. Você verá que sua vida se renovará, sua forma de ver o mundo mudará, você será mais feliz no seu trabalho, na sua casa, em todas as suas decisões!

A inteligência emocional não é um dom, é uma habilidade que pode e deve ser desenvolvida, é uma conquista!

Últimas