Luiz Fara Monteiro Abesata cria programa para capacitar empresas certificadas em parceria com Universidade Anhembi Morumbi

Abesata cria programa para capacitar empresas certificadas em parceria com Universidade Anhembi Morumbi

Programa Corporate Resource Management (CRM) - Ground Operations foi criado para garantir a utilização eficaz dos recursos - pessoas e equipamentos - durante a prestação de serviços de Ground Handling

Abesata: programa para capacitar empresas certificadas em parceria com Universidade Anhembi Morumbi
Abesata: programa para capacitar empresas certificadas em parceria com Universidade Anhembi Morumbi EGOM PR - Divulgação

Com o objetivo de melhorar a qualidade dos serviços prestados pelas empresas de serviços em solo, a Abesata (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Auxiliares do Transporte Aéreo) criou, em parceria com a Universidade Anhembi Morumbi, um curso cuja grade curricular compreende 40 horas/aula exclusivamente para Ground Service Providers. A partir de 1° de julho de 2023, todas as empresas certificadas com o CRES (Certificação de Regularidade das Empresas em Solo) serão obrigadas a ter nos seus quadros facilitadores com formação em CRM – Ground Operations. Atualmente são 9 empresas que possuem o CRES em todo país e 65 aeroportos com empresas certificadas disponíveis para contratação.

O Corporate Resource Management (CRM) - Ground Operations começa com a primeira turma no dia 3 de maio e será ministrado com aulas remotas síncronas, mais apresentação de estudos de caso, com exemplos práticos de serviços de Ground Handling, vídeos e discussão dos temas relacionados. O objetivo é conscientizar os alunos a respeito da utilização eficaz dos recursos, tanto humanos quanto de equipamentos, e ainda dar aos participantes noções de CRM para as tarefas quotidianas.

Na grade do curso estão disciplinas como Desempenho Humano, Gerenciamento de Ameaças e Erros, CRM/RRM, Processos de Ground Handling, Normas e diretrizes de segurança operacional e de serviços de natureza de proteção, Tipos de cultura, Trabalho em equipe, dentre outros assuntos relacionados. 

“O setor de apoio em solo envolve esforços simultâneos com múltiplos agentes, e essa sinergia, em síntese, é o objetivo do CRM – Ground Operations”, disse o presidente da Abesata, Ricardo Miguel. Para ele, “é fundamental oferecer para as empresas certificadas, e até para aquelas que precisam avançar mais para conseguirem a certificação, programas de qualidade como este montado em parceria com a Universidade Anhembi Morumbi”. A universidade e outras entidades de ensino já são parceiras da associação, com projetos que aproximam a academia do mercado de trabalho, e oferta de cursos de graduação e pós-graduação com valores diferenciados aos associados.

“Nesse sentido, para a Universidade Anhembi Morumbi este é um momento ímpar no qual além de trazer os profissionais do mercado de Ground Handling para dentro da academia, também os alunos, por intermédio de uma Unidade Curricular Dual, terão a oportunidade de conhecer o processo de certificação das empresas da Associação, por intermédio da realização de visitas técnicas e palestras, propiciando a aproximação da academia com o mercado, objetivo maior do Ecossistema Ânima de Educação”, acrescenta o Prof Alexandre Faro, coordenador do Curso de Aviação Civil da Universidade Anhembi Morumbi.

Lançado em junho do ano passado, o programa de qualidade já analisou e certificou empresas como Swissport, Dnata, Orbital, ProAir, RP, InSolo, Real Aviation, VIX e Tri-Star. O objetivo do selo de qualidade é ajudar operadores de aeroportos e companhias aéreas na hora de contratar serviços auxiliares de naturezas operacional e de proteção. O certificado CRES está disponível para qualquer empresa.

O programa de certificação é composto por uma matriz com cinco dimensões: Regulatória, Financeira, Operacional, Pessoas e ESG (meio ambiente, social e governança corporativa). A certificação é realizada por uma empresa independente, a Praxian Research Center, com sede na avenida Paulista, em São Paulo.

O objetivo é trazer benefícios para toda a cadeia aeronáutica. Hoje, as empresas especializadas de serviços em solo no Brasil respondem por 95% das operações, desde limpeza de aeronaves, com foco na sua desinfecção, transporte e atendimento de passageiros e tripulantes, check-in, manuseio de carga e bagagens, canal de inspeção – security – para embarque de passageiros, entre outras modalidades.

As empresas que desejarem ser certificadas precisarão apresentar uma série de documentos que comprovem condições regulares de operação e uma estrutura saudável, garantindo a segurança de quem contrata, companhia aérea ou administração aeroportuária, além de poder servir de referência para a fiscalização por parte dos órgãos governamentais.

Os critérios de análise envolvem aspectos eliminatórios e outros classificatórios, totalizando uma soma máxima de 100 pontos.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas