Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Luiz Fara Monteiro
Publicidade

Avião aborta decolagem para evitar colisão com aeronaves em Nova Iorque

Autorizado por controladores, jato intercontinental da Swiss desacelerou o gigante A330-300 ao perceber que outros aviões cruzavam a pista do Aeroporto JFK

Luiz Fara Monteiro|Luiz Fara MonteiroOpens in new window


Serial number1029.Type330-343X.First flight date18/06/2009.Test registrationF-WWKE..Engines2 x RR Trent 772B-60 Joao Carlos Medau

Fim de tarde de quarta-feira, 17 de abril, no Aeroporto JFK em Nova Iorque.

Depois de deixar o portão e taxiar por cerca de 15 minutos, o jato intercontinental da Swiss alcançou a cabeceira e alinhou com a pista 04L.

No cockpit foi ouvida em alto e bom som a autorização da torre para que o voo LX17 levantasse voo rumo a Zurique, na Suíça.

Com a aeronave já em aceleração, os pilotos avistaram - incrédulos - outras aeronaves também em solo cruzando a pista bem à sua frente.

Publicidade

Imediatamente ouviu-se um som alto de desaceleração do gigante Airbus A330-300, matrícula HB-JHD: os pilotos tiveram que rejeitar a decolagem para evitar uma catástrofe na pista do JFK.

O Swiss acionou o Controle de Tráfego para comunicar a rejeição da decolagem e relataram sobre as aeronaves que cruzaram a 04L, que deveria estar livre de tráfego.

Publicidade

O Controle de Tráfego Aéreo reconheceu a situação e instruiu a aeronave da Swiss a desocupar a pista e taxiar até o ponto de espera. O A330-300 finalmente decolou em segurança cerca de 15 minutos após a decolagem rejeitada.

Os 3 aviões autorizados a cruzar a pista 04L eram um Delta Airlines Boeing 767-400, que acabara de chegar de Nice, na França, outro Delta, modelo Bombardier C-Series CS-300, além de um American Airlines Boing 737-8 MAX, procedente de Dallas Ft. Worth.

Publicidade

Em ambas as frequências da torre não houve instruções para parar, cancelar a autorização de cruzamento ou abortar a decolagem.

De acordo com o Aviation Herald, os controladores continuaram suas funções, apesar do incidente.

O caso foi destacado pelo Conselho Suíço de Investigação de Segurança nos Transportes, que em 1º de maio de 2024, relatou:

“Em 17 de abril de 2024, aproximadamente às 16h46, horário local (20h46 UTC), ocorreu um evento de superfície no aeroporto JFK quando o controlador Local 1 autorizou a Swiss International Air Line SWR17K, um Airbus A333 , matrícula HB-JHD, para decolagem na Pista 04L enquanto quatro aeronaves foram instruídas a cruzar a pista pelo controlador Local 2. O A333 atingiu 50 nós e estava a 800 pés da pista quando o piloto abortou a decolagem. aproximadamente 4.600 pés com a primeira aeronave de travessia.

O Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos Estados Unidos (NTSB) abriu uma investigação e esclareceu que a 4ª aeronave mencionada seria um Embraer 175, já estava além e fora da pista após seu cruzamento quando o LX-17 começou a se mover para a decolagem. Ainda segundo a investigação do NTSB, a equipe de controladores estava de acordo com as diretrizes de turno, com seis deles posicionados na cabine da torre durante o evento.

Veja abaixo o mapa do momento em que o LX-17 rejeitou a decolagem (Gráficos: AVH/Google Earth):

Vista aérea do JFK e as respectivas posições das aeronaves AVH/Google Earth


Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.