Luiz Fara Monteiro Azul é a aérea com melhor classificação em sustentabilidade

Azul é a aérea com melhor classificação em sustentabilidade

Empresa foi reconhecida no projeto SustentAr, lançado pela Anac em 2022, que tem como objetivo reconhecer as empresas com as melhores práticas sustentáveis 

John Rodgerson, presidente da Azul

John Rodgerson, presidente da Azul

Azul - Divulgação

A Azul foi a empresa aérea reconhecida pela adoção das melhores práticas de gestão ambiental entre os operadores aéreos nacionais pelo projeto SustentAr, lançado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) este ano. A ação tem como objetivo incentivar a conduta dos regulados a iniciativas proativas ligadas à sustentabilidade na aviação.

O SustentAr tem por objetivo disseminar as melhores práticas ambientais acerca das iniciativas sustentáveis adotadas pelos operadores aéreos de acordo com o conceito de ESG – Environmental, Social and Governance –, como a opção de rotas mais diretas, aeronaves mais eficientes e de nova geração, programa de eficiência de combustível, futura compensação das emissões pelos passageiros, redução e compensação de embalagens disponibilizadas nos voos, entre outras ações que ajudaram a moldar os critérios do projeto para apontar as iniciativas no setor.

A Azul foi a mais bem avaliada na categoria 121 (empresas de transporte aéreo regular, de acordo com o Regulamento Brasileiro de Aviação Civil - RBAC nº 121). A pontuação obtida pela empresa considerou o cumprimento de critérios específicos do projeto, os quais estavam organizados em cinco grupos relacionados à sustentabilidade em empresas aéreas: Gestão organizacional e educação ambiental; transição energética; eficiência operacional; emissões atmosféricas e recursos naturais.

“Nossa empresa é 19% mais eficiente hoje do que em 2016. Atualmente, transportamos mais Clientes e emitimos menos carbono do que há seis anos. Graças a transformação e renovação de nossa frota, possibilitando uma operação mais eficiente. Com isso, a Azul tem o orgulho de dizer que é uma companhia que opera com 70% de seus assentos com aeronaves de nova geração e baixos níveis de emissões”, destacou John Rodgerson, presidente da Azul, que elogiou a iniciativa da Anac. “A Anac tem cobrado todo o setor por melhores resultados, sejam eles de atendimento ao cliente ou de práticas sustentáveis”, completou.  

Também presente na entrega do prêmio à Azul, Jason Ward, vice-presidente de Pessoas e Clientes da companhia aérea, reforçou as recentes iniciativas da empresa e afirmou que “a Azul não quer ser apenas a melhor companhia do mundo, mas também a melhor para o mundo”. 

A Azul foi a primeira aérea do Brasil a aderir ao Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), reforçando o seu comprometimento com a responsabilidade socioambiental e os objetivos de Desenvolvimento Sustentável, em seu compromisso de ser net zero em 2045 e fazendo parte do movimento ambição 2030, também da ONU. Hoje, a companhia faz parte do esquema programa de compensação e redução de carbono para a aviação internacional (CORSIA, na sigla em inglês),programa da Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO) da Organização das Nações Unidas (ONU).   

Além de um modelo de negócios financeiramente resiliente e sustentável, a companhia foca em três pilares: operação eco-eficiente por meio de excelência operacional e máxima integridade das aeronaves e equipe; Tripulantes Engajados e Saudáveis, Clientes e Fornecedores fidelizados e comunidades envolvidas, criando uma sociedade equitativa e uma economia justa; e desenvolvimento social e econômico que proteja o planeta por meio de projetos inovadores e apaixonados.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas