Luiz Fara Monteiro Boeing autorizada a operar satélites para serviço de banda larga

Boeing autorizada a operar satélites para serviço de banda larga

Permissão veio da Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos. Disputa envolve a SpaceX e a Amazon.

Boeing autorizada a operar satélites para banda larga

Boeing autorizada a operar satélites para banda larga

Unsplash

A Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos (FCC) informou que autoriza a Boeing a oferecer serviços comerciais de internet por meio da operação de 147 satélites para fornecer acesso à internet banda larga de alta velocidade.
A Boeing entrou com o primeiro processo junto à FCC em 2017, buscando a aprovação para implantar uma Constelação de banda V composta principalmente de satélites de órbita terrestre baixa. A FCC não aprovou o pedido da Boeing para operar links inter-satélites em certas bandas de frequência que não são alocadas internacionalmente para operações do serviço fixo por satélite. A informação é da Reuters.
No pedido enviado ao FCC, a Boeing diz que quer fornecer comunicações de banda larga de alta velocidade aos consumidores "onde quer que estejam".
Em 2019, a SpaceX de Elon Musk - que é líder nesse mercado com mais de 1.700 satélites de banda larga de produção própria em órbita - instou a FCC a rejeitar o plano da Boeing, dizendo que a operação apresentava um "perigo claro de interferência prejudicial" a outros sistemas ou "no mínimo impõe condições apropriadas para garantir que as operações da Boeing não prejudiquem as de outras" operadoras.
Em julho de 2020, a Amazon informou a intenção de investir mais de US $ 10 bilhões para construir uma rede de 3.236 satélites em órbita terrestre baixa.
Na segunda-feira, a Amazon pediu a aprovação da FCC para lançar e operar dois protótipos de satélites.

A SpaceX, que planeja implantar 12.000 satélites no total, disse anteriormente que a constelação Starlink custará cerca de US $ 10 bilhões.
Embora extremamente cara de implantar, a tecnologia de satélite pode fornecer internet de alta velocidade para pessoas que vivem em áreas rurais ou de difícil acesso, onde os cabos de fibra ótica e as torres de celular não chegam. A tecnologia também pode ser uma opção para casos de emergência, como a interrupção de comunicação causada por furacões ou outros desastres naturais.

Últimas