Luiz Fara Monteiro Espaço aéreo da Ucrânia está vazio desde a ação militar russa

Espaço aéreo da Ucrânia está vazio desde a ação militar russa

Boletim aeronáutico foi emitido para restringir operações da aviação civil sobre a Ucrânia. Voos de várias companhias com destino a Kiev e Moscou retornaram à origem  

Espaço aéreo ucraniano vazio após ações militares da Rússia

Espaço aéreo ucraniano vazio após ações militares da Rússia

AirNav RadarBox

Um boletim NOTAM de emergência foi emitido no final da noite por autoridades de aviação civil para restringir operações no espaço aéreo ucraniano, após a ação militar russa no país vizinho.

"Restrito devido ao potencial risco para a aviação civil", diz o comunicado enviado a companhias aéreas em todo o mundo.   

NOTAM (Notice to Airman ou Notice to Air Mission) é uma mensagem que tem por finalidade divulgar alterações e restrições temporárias que possam ter impacto nas operações aéreas, como, por exemplo, a indisponibilidade de determinado auxílio para a navegação aérea, uma pista que esteja interditada ou, como é o caso, o fechamento de uma porção do espaço aéreo.

A consequência imediata desse NOTAM é a completa ausência de aeronaves civis no espaço aéreo ucraniano, como revelam dados da plataforma de rastreamento de voos AirNav RadarBox.

Um dos alvos dos ataques russos foi o aeroporto da cidade ucraniana de Mariupol. 

O voo AI 1947 da Air India, que ia de Délhi (DEL) para Kiev (KBP), retornou à origem poucas horas após a decolagem devido ao ataque russo ao território ucraniano. O voo da Air India era operado por um Boeing 787-800 Dreamliner, de registro VT-ANC, fabricado sete anos atrás. 

Nas últimas semanas, companhias como a KLM, Air France, Lufthansa e Swiss anunciaram a suspensão de voos para Kiev, pela possibilidade de conflito na região. 

E não são apenas voos para Kiev que estão retornando à origem. 

Uma aeronave da companhia grega Aegean que cumpria o voo A3880, de Atenas (ATH) para Moscou (DME), retornou à capital grega depois que a Rússia deflagrou a operação militar em território ucraniano. Outros voos de companhias europeias estão retornando à origem.

Além da suspensão dos voos para a região, o aumento no preço do petróleo causado pelo conflito preocupa as companhias aéreas em todo o mundo, o que pode acarretar aumentos no valor do combustível de aviação e, consequentemente, nas tarifas. 

Air India: voo que iria para Kiev retornou a Délhi após conflito na Ucrânia

Air India: voo que iria para Kiev retornou a Délhi após conflito na Ucrânia

AirNav RadarBox

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas