O que é que eu faço Sophia Filhos: 5 conselhos para planejar o futuro financeiro — e 1 erro a evitar

Filhos: 5 conselhos para planejar o futuro financeiro — e 1 erro a evitar

Nos preocupamos com a educação dos filhos, mas muitas vezes esquecemos de ensinar a lidar com dinheiro; saiba corrigir isso

Independência financeira é possível

Independência financeira é possível

DepositPhotos

Ao nos tornarmos pais, percebemos o quanto a educação é importante para nossos filhos. Nos preocupamos com as escolas, com uma excelente formação para seu futuro, mas muitas vezes nos esquecemos de que também é importante ensinar a lidar com dinheiro.

Esse esquecimento acontece normalmente porque nós mesmos não tivemos, na maioria dos casos, esse ensinamento dentro de nossas casas. Muitas vezes só fomos aprender a lidar com o dinheiro quando saímos para trabalhar e recebemos nosso primeiro salário.

Confira esta entrevista exclusiva com o professor Martin Iglesias, especializado em finanças comportamentais e responsável pela área de Investimentos e Alocação de Ativos do Itaú Unibanco e veja 5 dicas de como planejar o futuro financeiro dos herdeiros — e um erro muito importante a evitar.

Quais são os 5 conselhos para planejar o futuro das crianças?

Freepik

"Estar preparado para lidar com o dinheiro é algo que vai garantir uma tranquilidade muito maior tanto para nossos filhos quanto para nós mesmos", garante Martin Iglesias, que aconselha a seguir os seguintes passos:

1) Fazer aplicações constantes

É importante ter a disciplina para realizar aportes periódicos (fazer aplicações constantes) para garantir a reserva financeira. Não adianta poupar um mês sim e dez não. É preciso criar o hábito de poupar sempre.

Conforme as crianças crescem, deve-se reforçar sempre que parte da mesada não será recebida para gastar, mas sim para guardar para o futuro.

Para criar o hábito de poupar todo mês, é possível utilizar recursos de aplicações programadas, válidas para praticamente todos os tipos de investimentos, o que pode ajudar a cumprir essa rotina.

Ao longo do tempo, acompanhar com a criança a evolução desses investimentos e dos rendimentos é um bom exercício de planejamento e educação financeira.

2) Aprenda sobre risco

Um passo importante é entender e saber lidar com a eventual desvalorização de ativos financeiros ao longo do tempo. E saber lidar com isso, transmitindo tal ensinamento, de forma que possam também ter entendimento e ciência de como lidar com essas situações.

3) Diversifique os investimentos

A diversificação deve acontecer tanto no tipo de investimento quanto no prazo de vencimento dos títulos, com alternativas diferentes pensando no longo prazo. Importante sempre pesquisar as opções disponíveis no mercado, em diferentes momentos e cenários, e procurar compor os investimentos com ativos locais, internacionais, pré-fixados, pós-fixados e renda variável, e com diferentes datas de vencimento, quando falamos de Tesouro Direto e CDBs.

4) Invista com foco no longo prazo

Quando se pensa em planejar o futuro, pensar a longo prazo é inevitável e existem diversas opções de investimentos, com diferentes prazos sugeridos ou necessários para permanência e resgate.

Nesse contexto, é aconselhável distribuir os investimentos em títulos indexados à inflação como, por exemplo, Tesouro Direto e CDBs,  e também produtos de renda variável, como fundos de investimento em ações ou ETFs, que acabam tendo uma proteção indireta ao cenário cambial.

5) Fique de olho nos impostos

Também é preciso considerar, dentro da estratégia de diversificação, produtos que proporcionem benefícios fiscais, geralmente disponíveis em instrumentos de longo prazo, como planos de previdência privada, por exemplo.

Um investimento do tipo PGBL, por exemplo, permitem abatimento no Imposto de Renda. Porém esse tipo de investimento só permite esse abatimento quando o contribuinte usa o modelo de declaração completa. Então é muito importante também que os pais procurem se informar sobre os tipos de investimentos, benefícios e riscos para não investir em algo achando que terá um benefício de que não poderá desfrutar.

Qual o principal erro a evitar?

Pixabay

Martin Iglesias afirma que o melhor presente que os pais podem dar para os filhos é ter a própria independência financeira ou o mais próximo disso.

"Nesse sentido, o principal erro a ser evitado para o planejamento financeiro das crianças é os pais não estarem minimamente preparados para o próprio futuro. Se as finanças não estiverem em ordem, sem um nível de independência financeira razoável, os próprios pais podem acabar tornando-se uma carga para os filhos", diz Iglesias.

__________________________________________

Se ainda tiver dúvidas sobre economia, dinheiro, direitos e tudo o mais que mexa com o seu bolso, envie suas perguntas para “O que é que eu faço, Sophia?” pelo email sophiacamargo@r7.com

Últimas