Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Refletindo Sobre a Notícia
Publicidade

Cinco maus hábitos de carreira que devemos abandonar em 2022

Especialistas citam comportamentos que precisam ser eliminados para alcançar uma vida bem-sucedida

Refletindo Sobre a Notícia por Ana Carolina Cury|Do R7 e Ana Carolina Cury


Muitas pessoas enganam-se achando que para ter uma vida feliz e bem-sucedida precisam trabalhar incessantemente, sem descanso, abandonando todas as outras áreas de sua existência. Na verdade, assumir mais do que aquilo com que se pode lidar geralmente acarreta esgotamento, pavio curto e traz resultados superficiais.

Para a psicóloga especialista em desenvolvimento humano Claudia Marchi, muitas pessoas têm caído nesse erro e sofrido as consequências, tanto é que a OMS (Organização Mundial da Saúde) classificou há poucos dias a síndrome de burnout como doença ocupacional. "Não é um mimimi. É sério, porque essa doença é fruto do estresse crônico no local de trabalho e não administrado com sucesso. Esse comportamento leva a sentimentos de exaustão, redução do desempenho e até problemas emocionais mais graves."

A síndrome de burnout passou a ser reconhecida como uma doença relacionada ao trabalho pela OMS (Organização Mundial da Saúde)
A síndrome de burnout passou a ser reconhecida como uma doença relacionada ao trabalho pela OMS (Organização Mundial da Saúde)

Nenhum excesso é saudável nem gera bons frutos. Sendo esse o primeiro mau hábito que os especialistas consultados por este blog orientam eliminar.

1. Excesso de funções e trabalho

Publicidade

Para o neurocientista Jô Furlan, trabalhar excessivamente, sem dar atenção a outros setores da vida, não significa comprometimento. "Na verdade, isso é assumir atividades ou funções sem desenvolvê-las adequadamente. É uma necessidade de querer mostrar serviço que com certeza vai aumentar o desgaste, vai aumentar a pressão, porque a pessoa não vai conseguir fazer seu trabalho adequadamente e ainda terá um desgaste físico e emocional", explica.

O especialista reforça a necessidade de trabalhar de forma inteligente. "A gente fala de tomar as decisões que levam a atingir o resultado desejado. Então, quanto mais comprometido, a tendência é que eu seja mais focado e, sendo mais focado, que eu seja mais produtivo. Se eu estou assumindo tarefas demais, eu vou acabar produzindo menos", orienta.

Publicidade

Por isso, a orientação é que, em vez de trabalhar mais, trabalhe de forma mais inteligente. Seja honesto consigo mesmo sobre até onde você pode ir para produzir um trabalho de alta qualidade.

2. Procrastinação

Deixar tarefas importantes para o dia seguinte por preguiça, apertar a soneca no alarme diariamente, ir trabalhar sem vontade... Tudo isso fala muito sobre entusiasmo e dedicação.

"É um dos padrões de comportamento que têm maior potencial de dano no ser humano. Porque aparentemente quando eu deixo alguma atividade para amanhã ou para o próximo mês estou simplesmente transferindo a pressão. O que acontece é que esse prazo vai chegar e, normalmente, a pessoa que procrastina se organiza mal", observa o neurocientista.

Especialistas orientam que é preciso vencer a procrastinação para evitar danos físicos e emocionais
Especialistas orientam que é preciso vencer a procrastinação para evitar danos físicos e emocionais

E exatamente pelo fato de ela se organizar e gerir mal o tempo, vai ficar sobrecarregada e isso vai cobrar um alto preço. A especialista em desenvolvimento humano e organizacional Adriana Schneider explica que o grau de desgaste emocional, o grau de desgaste nas relações humanas causado pela procrastinação é imenso.

"Por isso, mude esse hábito. Uma dica é iniciar o dia fazendo uma lista do que deve ser realizado, analisar se tudo que foi planejado é exequível nas horas disponíveis. Além disso, separar o que é urgente, importante, o que somente é de sua responsabilidade e o que pode ter ajuda para realizar. Lembre-se dos compromissos para além do trabalho, cuidar da agenda pessoal é de fundamental importância para a saúde física e emocional."

3. Defensiva ao receber feedbacks

Todos temos espaço para melhorias e, quanto mais cedo aceitarmos isso, mais cedo poderemos aceitar um feedback. É fácil levar as coisas para o lado pessoal quando nosso ego fica ferido. No entanto, é preciso lembrar-se de que se trata de negócios, e não de algo pessoal.

Assim, o feedback é uma ferramenta excepcional quando bem administrado. Infelizmente nem todos sabem como usar o feedback e acabam desrespeitando-o. Porém, quando utilizado como uma ferramenta profissional, pode auxiliar muito no crescimento.

"Quando um superior está lhe dando feedback, ele está dizendo diretamente o que está procurando. É preciso aprender a lidar com as críticas construtivas e receber os feedbacks de mente aberta. Muitos que ignoram o que é dito perdem essas dicas importantes" orienta a psiquiatra Roberta França.

4. Sacrificar a saúde pelo trabalho

É necessário priorizar a saúde e o bem-estar. O trabalho tende a trazer estresse e, quando estamos estressados, é tentador buscar cafeína e guloseimas açucaradas, mas a longo prazo isso só resulta em problemas de saúde, além de diminuir a energia. Portanto, é preciso cuidar de si mesmo.

Afinal, comprometer a saúde nada mais é do que pôr em risco um bem precioso que o dinheiro não vai recuperar. "Estar saudável implica investir em atividades físicas, alimentação saudável e cultivar a boa atividade emocional. Não é necessário você comprometer sua saúde para ter êxito na carreira, independentemente do que você faça", pontua o neurocientista Jô.

Pessoas bem-sucedidas não se envolvem em fofocas
Pessoas bem-sucedidas não se envolvem em fofocas

Pequenas práticas no dia a dia podem fazer toda a diferença.

5. Fofoca

Esse é provavelmente o mais importante de todos os maus hábitos. Fofocar não cria soluções, apenas aumenta o holofote na pessoa fofoqueira sob uma luz não profissional. Para sair desse ciclo vicioso, não participe disso.

"Você dificilmente vai ver uma pessoa bem-sucedida que gasta seu tempo falando mal dos outros. Ou participando de conversas que não sejam produtivas. Então comece a ter isso por referência. Se você ouve uma pessoa falar mal de alguém, será que essa pessoa não vai falar mal de você para outro alguém?", questiona Jô Furlan.

Lembre-se: grandes realizadores não perdem seu tempo falando dos outros. Eles estão concentrados em fazer acontecer.

Por isso, a chave para ter uma vida profissional melhor em 2022 está no equilíbrio e no amor-próprio. "É necessário ter consciência do próprio valor, o que não tem nada a ver com ser arrogante. É preciso aprender a se amar e saber como se dedicar não apenas ao trabalho, mas também à família, à fé, às atividades físicas etc. Tudo isso é essencial. Não são todos os dias que estamos animados, mas o importante é entender que a vida clama por atenção e inteligência", conclui a psiquiatra Roberta França.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.