Rio de Janeiro Caso Marielle: MP pede à Justiça que réus fiquem em presídios separados

Caso Marielle: MP pede à Justiça que réus fiquem em presídios separados

Élcio Queiroz e Ronnie Lessa estão em penitenciária de segurança máxima de Porto Velho, em Rondônia, há mais de um ano

Ambos respondem por homicídios de Marielle e Anderson

Ambos respondem por homicídios de Marielle e Anderson

Reprodução/Record TV Rio

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) pediu à Justiça que o sargento da PM reformado Ronnie Lessa e o ex-policial militar Élcio Queiroz, acusados dos assassinatos da ex-vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, fiquem em presídios separados enquanto aguardam o julgamento.

Presos em março do ano passado, ambos estão em uma penitenciária de segurança máxima de Porto Velho, em Rondônia, há mais de um ano. 

Élcio Queiroz, acusado de dirigir o veículo usado no crime, e Ronnie Lessa, apontado como o atirador, vão a júri popular por decisão do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro).

Os dois respondem por duplo homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio contra a assessora, Fernanda Chaves, que sobreviveu ao ataque, e também por crime de receptação.

O crime aconteceu em março de 2018 após Marielle deixar um evento no bairro do Estácio, no centro do Rio. A polícia disse que mais de 60 pessoas foram presas durante a investigação do caso. No entanto, o mandante até o hoje não foi identificado.

Em setembro deste ano, o inquérito trocou de mãos pela terceira vez, após o delegado Moisés Santana assumir a DH (Delegacia de Homicídios da Capital). 

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas