Rio de Janeiro Covid-19: SES do Rio de Janeiro fará testes com agendamento online

Covid-19: SES do Rio de Janeiro fará testes com agendamento online

Novos centros de testagem foram inaugurados nesta sexta-feira (7) em bairros das zonas norte, oeste e sul da capital

  • Rio de Janeiro | Da Agência Brasil

Rio abriu novos centros de testagem

Rio abriu novos centros de testagem

Divulgação/Secretaria Municipal de Saúde do Rio

A SES (Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro) inaugurou, nesta sexta-feira (7), seis centros de testagem para Covid-19, indicados para pessoas com sintomas leves ou que tiveram contato com indivíduos que apresentaram resultado positivo para a doença.

O exame poderá ser feito de segunda a domingo, das 8h às 18h, em estruturas anexas às UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) de Bangu, Campo Grande e Jacarepaguá, na zona oeste da capital, e Tijuca, Penha e Marechal Hermes, na zona norte. A SES vai aplicar testes rápidos de antígeno e RT-PCR, para monitoramento do cenário epidemiológico.

De acordo com o secretário Alexandre Chieppe, foi verificado em todo o estado um aumento significativo no número de casos de Covid-19, “provavelmente relacionados à variante Ômicron”, que é muito mais transmissível do que as anteriores.

“É fundamental que as pessoas se vacinem, que tomem a dose de reforço. Muito provavelmente é por isso que a gente não está observando nenhum caso grave relacionado a essa variante", disse. Ele recomendou que pessoas com sintomas se testem e, em caso positivo, façam isolamento para evitar que outras pessoas venham a ficar doentes. "Os testes são liberados em até 15 minutos, e no momento a pessoa sabe se está ou não com o novo coronavírus”, destacou.

Chieppe explica que, neste primeiro momento, o atendimento será por demanda espontânea, com o comparecimento sem marcação em qualquer um dos postos. Mas a partir do fim de semana será lançado no site da SES o agendamento online.

“Isso é importante também para garantir que a pessoa tenha um atendimento mais ágil, não tenha que ficar esperando tanto tempo para realizar o exame. Então, a partir da semana que vem vai ser necessário o prévio agendamento para fazer o teste nessas unidades montadas pela SES”, reforça o secretário.

A recomendação da secretaria para pacientes com sintomas moderados a graves, como febre acima de 37,5 graus e dificuldades respiratórias, é que procurem uma UPA ou emergência hospitalar para passar por atendimento médico a fim de avaliar o quadro de saúde.

O secretário informou que na próxima semana serão abertos mais dois postos de testagem, um junto ao Hospital Modular Ricardo Cruz, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, e o outro no Centro de Atletismo Célio de Barros, no Maracanã, zona norte da capital.

Capital

No município do Rio de Janeiro, a prefeitura inaugurou hoje (7) mais um centro de atendimento a pacientes com síndrome gripal e polo de testagem, no CIEP (Centro Integrado de Educação Pública) Nação Rubro Negra, no Leblon. Esse é o oitavo centro aberto pela prefeitura nesta semana, além das unidades básicas de saúde, para atender quem está com sintomas como febre, calafrio, tosse, coriza, dor de garganta, dor de cabeça, alteração no olfato e/ou paladar, bem como aqueles que tiveram contato com pessoas com resultado positivo para Covid-19.

O prefeito, Eduardo Paes, pediu consciência coletiva à população, para que tome a vacina, faça  teste quando necessário e permaneça em isolamento se for diagnosticado com a doença.

“A gente tem visto essa experiência, chamar a atenção para a testagem. Além das unidades básicas, são dez polos como este aqui hoje, nas diversas áreas da cidade, para permitir que as pessoas que estão com sintomas ou tiverem contato, identificando, vão fazer o isolamento necessário. A gente precisa muito nesse momento de consciência coletiva, não dá, a gente está entrando no terceiro ano de pandemia. Há uma necessidade de coesão social, de consciência coletiva”, explicou.

Ômicron

A SES confirmou que das 81 amostras de teste RT-PCR para Covid-19 sequenciadas no mês de dezembro, 55 (68%) deram positivo para a variante Ômicron e 26 para a Delta. No momento, outras 199 amostras sugestivas para Ômicron estão em análise.

Na capital, os dados indicam uma presença de 98% da variante Ômicron, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Paes afirmou que a experiência internacional tem indicado que não é preciso aumentar as medidas restritivas impostas.

“A reação dos países tem sido de menos restrição, porque restrição demais nesse momento não tem conexão com a vida real. No começo, não conhecíamos a doença, não tinha vacina nem tratamento terapêutico adequado, e natural que seja mais restritivo. O momento me parece ser diferente. Temos visto a reação dos países desenvolvidos ser de menos restrição, mais consciência coletiva, mais alerta à população. A gente precisa dialogar, informar a população. Ainda não acabou, mas a vida está melhorando já”, observou.

O painel da SMS  (Secretaria Municipal de Saúde) indica que na segunda-feira (3) houve um recorde de notificações de novos casos de Covid-19 na cidade, com 3.389 registros, ficando atrás somente do dia 28 de abril de 2020, quando foram reportados em um único dia 3.600 casos.

Resolução

Nesta semana, a SMS publicou a Resolução nº 5.235 para atualizar algumas diretrizes de prevenção e combate ao Sars-CoV-2, de acordo com as descobertas científicas internacionais mais recentes.

Com isso, a recomendação de isolamento domiciliar para as pessoas que tiverem confirmação de Covid-19 diminuiu para um mínimo de sete dias, mesmo que não apresentem sintomas. Porém, de acordo com o perfil de contato da pessoa e a critério médico, este período pode ser reduzido para cinco dias.

“Em casos de pacientes assintomáticos, a critério clínico, o médico poderá orientar um tempo menor de afastamento, de no mínimo cinco dias, desde que o paciente se comprometa com o uso rigoroso e contínuo da máscara pelo período completo de sete dias, em consonância com orientações internacionais recentes”.

A resolução libera a redução para cinco dias levando em consideração o perfil de contato com outras pessoas fora do isolamento. No isolamento domiciliar, o paciente deve estar obrigatoriamente assintomático e, se persistirem os sintomas, se manter isolado e fazer uma nova testagem.

A recomendação anterior, conforme ainda consta na página da SMS, era de 14 dias após o início dos sintomas. Porém, outros protocolos já haviam reduzido esse prazo para dez dias em casos de pessoas assintomáticas.

Últimas