Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Dois dias antes de crime, acusado de homicídio pesquisou dados de Marielle e da filha

Promotor disse que Ronnie Lessa pagou por uma busca do CPF das duas em um site de consulta de crédito

Rio de Janeiro|Do R7


Ronnie Lessa está preso desde março de 2019
Ronnie Lessa está preso desde março de 2019

Dois dias antes de matar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes, Ronnie Lessa pesquisou o número do CPF da vítima e da filha dela, Luyara Franco. Segundo o promotor do MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) Eduardo Martins, ele também fez buscas pelo endereço da vereadora.

Em uma entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira (24) em conjunto com a Polícia Federal, o promotor disse que a pesquisa foi efetuada no banco de dados de um site de consulta de crédito. Os investigadores também conseguiram identificar o valor e a forma de pagamento utilizada por Lessa para comprar a pesquisa no site privado.

Com os números dos documentos de Marielle, Lessa também conseguiu acesso ao endereço dela. Segundo Martins, o domicílio descoberto por ele era uma residência antiga da vereadora, que na época do crime morava na Tijuca.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia no Telegram

Acusado de ter efetuado os disparos contra as vítimas, Ronnie Lessa está preso na penitenciária federal do Rio Grande do Norte, assim como outro acusado de participação no crime, o ex-PM Élcio Queiroz.

Publicidade

Os dois vão a júri popular por decisão da Justiça, mas a data ainda não foi marcada. 

A delação premiada de Élcio Queiroz levou novamente à prisão um terceiro suspeito de envolvimento no caso, o ex-bombeiro Maxwell Simões Correa

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.