Rio de Janeiro Justiça manda soltar médico acusado de manter paciente em cárcere privado no Rio

Justiça manda soltar médico acusado de manter paciente em cárcere privado no Rio

Bolívar Guerreiro foi denunciado por tentativa de homicídio. Justiça considerou que motivos para prisão não persistem

Bolívar Guerrero aguarda alvará de soltura em Bangu 8

Bolívar Guerrero aguarda alvará de soltura em Bangu 8

Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Justiça mandou soltar, nesta quarta-feira (15), o médico equatoriano Bolívar Guerreiro, acusado de manter uma paciente em cárcere privado em um hospital particular em Caxias, na Baixada Fluminense. 

A decisão da 4ª Vara Criminal do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio) considerou que não persistem os motivos pelos quais foram determinadas a prisão preventiva dele. 

O médico foi detido, em julho do ano passado, depois que familiares da paciente Daiana Chaves Cavalcanti denunciaram o caso. Na época, a mulher havia passado por procedimentos estéticos e teve complicações.

As investigações do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) apontaram que a paciente foi submetida a uma nova cirurgia, mesmo com o agravamento do estado de saúde dela. 

A Promotoria concluiu, ainda, que Bolívar não conseguiu reverter o quadro e impediu Daiana de ser transferida para outra unidade, com intuito de ocultar a própria conduta.

O cirugião foi denunciado à Justiça por tentativa de homicídio.

Por determinação judicial, a paciente foi levada ao Hospital Federal de Bonsucesso, na zona norte do Rio, onde recebeu tratamento.

Últimas