Rio de Janeiro Paciente é diagnosticada com dengue tipo 4 no Rio de Janeiro; caso não era registrado desde 2018

Paciente é diagnosticada com dengue tipo 4 no Rio de Janeiro; caso não era registrado desde 2018

Mais de 6.000 casos da doença já foram identificados em 2023

Tipo do vírus foi identificado pelo Lacen-RJ

Tipo do vírus foi identificado pelo Lacen-RJ

Arquivo / Agência Brasil

Uma paciente de 45 anos foi diagnosticada no Rio de Janeiro com dengue tipo 4, que já não era mais registrada na cidade desde 2018.

A SMS (Secretaria Municipal de Saúde) confirmou o caso nesta quinta-feira (7). 

O tipo do vírus foi identificado pelo Lacen-RJ (Laboratório Central de Saúde Pública Noel Nutels), da Secretaria de Estado de Saúde.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

A secretária de Estado de Saúde, Claudia Mello, fez um alerta sobre os riscos de uma epidemia em razão da possibilidade de o vírus voltar a circular na cidade:

"A dengue tipo 4 é menos agressiva do ponto de vista clínico que a do tipo 3, que ainda não circula em nosso estado. A diferença é que, como ele volta a circular em nosso território após cinco anos, os que nasceram após o ano de 2018 não tiveram contato com o vírus e não desenvolveram imunidade contra ele, o que aumenta o risco de termos uma epidemia. Por isso estamos antecipando ações preventivas junto aos municípios com capacitação técnica, estabelecendo fluxos de atendimento e cuidado no manejo de pacientes". 

Sintomas e tratamento

A Secretaria Estadual de Saúde esclareceu que o tipo 4 da dengue apresenta os mesmos sintomas dos outros circulantes (tipos 1,  2 e 3): febre, dores de cabeça, dores no corpo e articulações, náuseas e vômitos, podendo ainda surgirem manchas vermelhas na pele.

Para o tratamento, é recomendando repouso e hidratação. Em caso de suspeita da doença, o paciente deve procurar a unidade de saúde mais próxima e seguir as orientações médicas. 

Casos de dengue na capital

Em 2023, foram realizadas mais de 6.000 identificações virais de dengue, com 5.532 identificações do tipo 1, 820 do tipo 2 e apenas este caso do 4. 

A SMS alertou a população sobre o combate do mosquito transmissor ao longo de todo o ano, especialmente no verão, quando o número de casos tende a aumentar.

"Até o dia 2 de dezembro, foram visitados 10.173.646 imóveis para prevenção e controle do vetor e 2.018.614 recipientes que poderiam servir de criadouros de mosquitos foram tratados ou eliminados. No combate ao mosquito transmissor é importante também que toda a população faça a sua parte para evitar possíveis focos nas residências", destacou a secretaria por meio nota.

Últimas