Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Pai do bebê de grávida executada em Campos (RJ) é considerado suspeito pela polícia

Letycia Peixoto, que estava no oitavo mês de gestação, foi baleada na porta de casa. A dupla envolvida no ataque a tiros foi presa

Rio de Janeiro|Do R7, com Record TV Rio

Letycia estava no oitavo mês de gestação
Letycia estava no oitavo mês de gestação Letycia estava no oitavo mês de gestação

O pai do bebê da grávida assassinada em Campos dos Goytacazes, no interior do estado do Rio, é considerado suspeito de envolvimento no crime, segundo a polícia. O atirador e o comparsa que participaram do ataque a tiros contra Letycia Peixoto Fonseca, de 31 anos, foram presos.

Em entrevista coletiva, a delegada Natália Patrão, responsável pela investigação, ressaltou que não há provas contra o homem apontado como o pai da criança, mas, por precaução, o passaporte dele foi recolhido pela Justiça, a pedido dos investigadores. 

De acordo com a apuração policial, o homem negou ser o autor ou o mandante do assassinato de Letycia e disse não conhecer os presos pelo crime.

A delegada informou também que o pai do bebê se negou a fornecer o material genético para qualquer exame de DNA. Ele era casado com outra mulher, que afirmou em depoimento não ter conhecimento da relação do suspeito com a vítima. 

Publicidade
Vítima foi alvo de ataque a tiros na porta de casa
Vítima foi alvo de ataque a tiros na porta de casa Vítima foi alvo de ataque a tiros na porta de casa

Na última quinta (2), Letycia, que estava no oitavo mês de gestação, foi assassinada na porta de casa. Dois homens em uma moto se aproximaram do carro da vítima e fizeram ao menos quatro disparos contra ela. Os criminosos também balearam a mãe de Letycia antes da fuga. 

A gestante chegou a ser socorrida e levada ao hospital. Ela passou por um parto de emergência e morreu logo depois. O bebê também faleceu, horas após o nascimento, em decorrência de insuficiência respiratória e distúrbio cardiovascular.

A dupla já identificada pela polícia deve responder por homicídio, tentativa de homicídio e aborto, segundo a delegada responsável pelo caso. 

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.