Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Paraguaio é preso com 7 kg de cocaína em embalagens de cacau no Aeroporto do Galeão, no Rio

De acordo com a PF, o suspeito embarcaria para Paris, na França, mas o destino da droga seria a Espanha

Rio de Janeiro|Do R7


Um paraguaio, de 22 anos, foi preso em flagrante com 7 kg de cocaína em embalagens de cacau no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, mais conhecido como Galeão, no Rio de Janeiro, na noite de sexta-feira (14). Segundo a PF, o suspeito pretendia embarcar em um voo comercial que faria escala em Paris, na França, tendo com o destino final a cidade de Barcelona, na Espanha. Ainda de acordo com as investigações, ele havia entrado com a droga no Brasil ao cruzar a fronteira do Paraguai por Foz do Iguaçu, no Paraná.
Rótulo da embalagem chamou a atenção dos agentes no Aeroporto do Galeão Divulgação/ Polícia Federal

Um paraguaio, de 22 anos, foi preso em flagrante com 7 kg de cocaína em embalagens de cacau no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, na noite de sexta-feira (14).

Segundo a PF, o suspeito pretendia embarcar em um voo comercial que faria escala em Paris, na França, tendo como destino final a cidade de Barcelona, na Espanha. Ainda de acordo com as investigações, ele havia entrado com a droga no Brasil ao cruzar a fronteira do Paraguai por Foz do Iguaçu, no Paraná.

A droga foi localizada em nove pacotes durante uma fiscalização da Polícia Federal com a Receita Federal. A descrição no rótulo das embalagens com seu conteúdo “orgânico e granulado” chamou a atenção dos agentes, segundo a PF, além da coloração e cheiro forte de composto químico.

A Polícia Federal informou que a perícia confirmou que a substância encontrada é cocaína. O suspeito já foi encaminhado para o sistema prisional do estado. Se for condenado pelo crime de tráfico internacional de drogas, ele pode receber uma pena de até 15 anos de reclusão.


Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.