Rio de Janeiro Polícia Federal negocia extradição de polonês preso por suspeita de tráfico no Rio

Polícia Federal negocia extradição de polonês preso por suspeita de tráfico no Rio

Governo polonês terá que pedir extradição ao Supremo Tribunal Federal

Polícia Federal negocia extradição de polonês preso por suspeita de tráfico no Rio

Jan Jozef Galas é procurado pela Interpol por crimes como sequestro, tráfico de drogas e extorsão

Jan Jozef Galas é procurado pela Interpol por crimes como sequestro, tráfico de drogas e extorsão

Reprodução / Internet
Suspeito debochou ao ser preso em São Gonçalo

Suspeito debochou ao ser preso em São Gonçalo

Rede Record

O polonês Jan Jozef Galas Slowakiewicz, de 42 anos, preso neste domingo (31), em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, deverá ser extraditado. O suspeito é procurado pela Interpol por crimes de tráfico de drogas, extorsão, sequestro, lesão corporal e roubo. A Polícia Federal comunicará ao governo polonês a presença de Galas no Brasil, e caberá à Polônia ingressar com pedido de extradição no Supremo Tribunal Federal.

Policiais do Batalhão de São Gonçalo (7º BPM) prenderam Galas por suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas local. No momento da prisão, o suspeito mandou beijo para as câmeras de televisão. Antes de ser colocado no camburão da Polícia Militar, ele debochou. 

— Alô Brasil. Tchau, tchau!

Galas foi detido, juntamente com um comparsa, portando um fuzil, uma carabina, 258 cápsulas de cocaína, balança de precisão e uma caixa de material para limpeza e manutenção de armas de fogo.

Armeiro

No ato da prisão, o suspeito disse se chamar Rikardo Talinowski, de 40 anos. Na ocasião, ele disse ser ex-militar da Ucrânia e morar no Brasil há cerca de quatro anos, trabalhando como comerciante. Mas, ao ser encaminhado para a Delegacia de Alcântara (74ª DP), mudou a versão. Segundo os policiais, ele disse se chamar Stanislaw Galas, ser polonês e ter 41 anos. No depoimento, Galas disse morar na favela há cerca de 11 meses e que, por ser ex-militar, ajudava na manutenção das armas dos traficantes.

Assista ao vídeo:

    Access log