Rio de Janeiro Polícia localiza material inédito de Renato Russo em depósito no Rio

Polícia localiza material inédito de Renato Russo em depósito no Rio

O objetivo da ação era localizar e entregar o conteúdo ao proprietário legítimo, o herdeiro do compositor, Giuliane Manfredini

  • Rio de Janeiro | Raíza Chaves, do R7*

Material foi localizado em um depósito no Rio

Material foi localizado em um depósito no Rio

Reprodução

A Polícia Civil localizou nesta quarta-feira (9), na operação Tempo Perdido, o material inédito do falecido cantor e compositor Renato Russo.

O objetivo da ação era localizar e entregar o conteúdo ao proprietário legítimo, o herdeiro do compositor, Giuliano Manfredini.

Foram arrecadas 91 fitas com material inédito, escondidos na empresa de depósito em Cordovil, na zona norte da cidade, usado por uma gravadora. 

Caso

Após uma denúncia feita pelo filho do artista, que acusa o estúdio de ocultar músicas que teriam sido gravadas por seu pai, em seus últimos anos de vida, a Polícia Civil cumpriu um mandado de busca e apreensão no local. 

O filho de Renato, Giuliano Manfredini, é o detentor dos direitos autorais da obra do pai, músico que fez sucesso nos anos 80 como vocalista da banda Legião Urbana, na década de 90, e gravou dois discos solo: The Stonewal Celebration Concert (1994) e Equilíbrio Distante (1995). Ele morreu em 1996, mas deixou algumas músicas gravadas, que foram aproveitadas pela gravadora para lançar o álbum póstumo O Último Solo, em 1997.

Em 2000, foi lançada uma coletânea com sua obra solo e mais duas músicas inéditas: as regravações de A Carta, de Erasmo Carlos, e A Cruz e a Espada, de Paulo Ricardo.

De acordo com a Civil, o filho acredita que o pai teria gravado mais músicas. A  DRC (Delegacia de Repressão aos Crimes) contra a Propriedade Imaterial abriu uma investigação para descobrir se o proprietário do estúdio de gravação usado por Renato Russo estaria ocultando essas canções inéditas.

*Sob supervisão de PH Rosa

Últimas