Rio de Janeiro Polícia prende dois suspeitos de utilizarem lanchonete para invadir sistema de banco no RJ

Polícia prende dois suspeitos de utilizarem lanchonete para invadir sistema de banco no RJ

Criminosos foram detidos em estabelecimento vizinho à agência, de onde acessavam rede wi-fi para roubar dinheiro de correntistas

  • Rio de Janeiro | Victor Tozo*, do R7, com Márcia Helena, da Record TV Rio

Suspeitos foram presos pela 9ª DP

Suspeitos foram presos pela 9ª DP

Reprodução

A Polícia Civil prendeu, na tarde desta terça-feira (22), dois suspeitos de invadirem o sistema de um banco para roubar dinheiro de correntistas em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

A dupla foi detida por agentes da 9ª DP (Catete) em uma lanchonete vizinha à agência bancária. Segundo a polícia, eles utilizavam a rede wi-fi do banco no estabelecimento para acessarem o sistema através de um laptop que havia sido roubado da instituição no mês passado.

Uma vez na rede da agência, os criminosos realizavam diversas transações financeiras. Segundo as investigações, um dos presos já possuía cinco anotações criminais e o outro seria natural de São Paulo, de onde teria vindo apenas para participar da fraude.

Ainda de acordo com a apuração da polícia, a dupla integra uma organização especializada neste tipo de crime que já causou prejuízo de mais de R$ 3 milhões à instituição bancária. Os dois suspeitos eram monitorados por policiais civis e também atuavam em São Paulo e Santa Catarina.

O delegado Felipe Santoro informou que a polícia identificou outros computadores roubados da agência para a realização das fraudes. A investigação revelou que a quadrilha se divide em um grupo especializado no furto e roubo dos laptops e outro que utiliza os equipamentos para acessar remotamente o sistema e efetuar as transações bancárias.

Ainda segundo o titular da 9ª DP, demais integrantes da organização cedem suas contas para receberem os valores conseguidos ilicitamente. A polícia investiga, ainda, a participação de funcionários do banco, que teriam oferecido suas credenciais para que os criminosos atuassem no sistema.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas