Rio de Janeiro RJ: PMs serão investigados por omissão de socorro a jovem morto com tiro de fuzil à queima-roupa

RJ: PMs serão investigados por omissão de socorro a jovem morto com tiro de fuzil à queima-roupa

Agente que disparou contra Jefferson Araújo Costa, de 25 anos, está preso e vai responder na Justiça Militar por homicídio culposo

PM atingiu morador com disparo de fuzil à queima-roupa

PM atingiu morador com disparo de fuzil à queima-roupa

Record Rio

Os policiais envolvidos na abordagem que terminou com a morte de Jefferson Araújo Costa, de 25 anos, durante uma manifestação às margens da avenida Brasil, na altura da Maré, zona norte do Rio de Janeiro, vão ser investigados por omissão de socorro.

A informação foi confirmada pelo porta-voz da PM, coronel Marco Andrade, nesta sexta-feira (9), que classificou a ação como "totalmente errada".

O policial responsável pelo tiro de fuzil à queima-roupa que matou Jefferson já está preso e vai responder na Justiça Militar por homicídio culposo (sem intenção de matar), além de omissão de socorro.

Na tarde de quinta-feira (8), Jefferson estava em um protesto contra uma operação para localizar um caminhão-cegonha com 11 veículos de luxo que haviam sido roubados

A Polícia Militar havia recebido a informação que a avenida Brasil seria fechada pelos manifestantes e enviou uma equipe para intervir.

Jefferson tinha 25 anos

Jefferson tinha 25 anos

Record Rio

Ao chegar no local, um dos agentes se aproximou de Jefferson e fez um movimento como se fosse bater no rapaz com a ponta do fuzil — momento em que a arma disparou. 

A ação foi flagrada em um vídeo feito por celular. 

A irmã de Jefferson relatou, em entrevista à RECORD, que, após a vítima ter sido baleada, os agentes não chamaram uma ambulância, apesar dos pedidos dos moradores da região.

Ainda segundo a família, Jefferson foi levado por populares ao Hospital Getúlio Vargas, na Penha, onde já chegou sem vida. 

Últimas