Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Cidade de São Paulo terá sinal 5G a partir desta quinta-feira

Segundo a Anatel, ativação do sinal ocorreu devido ao número expressivo de instalações de antenas, que superou o previsto

São Paulo|Da Agência Brasil


Após chegar a Brasília, Belo Horizonte, João Pessoa e Porto Alegre, o sinal da tecnologia 5G será ativado na cidade de São Paulo na próxima quinta-feira (4). A decisão foi anunciada nesta terça-feira (2), após reunião extraordinária do Gaispi (Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência), ligado à Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e responsável pela liberação do sinal.

Segundo a Anatel, a ativação do sinal ocorreu devido ao número expressivo de instalações de antenas do 5G, que superou o previsto no edital que autorizou o uso da nova tecnologia. Segundo as regras do edital, nessa primeira fase seriam necessárias, no mínimo, 462 estações ativadas até o dia 29 de setembro.

Até esta terça-feira a agência reguladora já havia recebido 1.378 pedidos de licenciamento na faixa de 3,5 GHz. Isso corresponde a quase o triplo do número de antenas que deveriam ser instaladas na cidade até o fim do ano.

A instalação das antenas vai permitir antecipar a chamada limpeza do espectro na faixa de 3,5 GHz (giga-hertz), para o funcionamento do 5G puro, o standalone. A avaliação do Gaispi é que, “como os pedidos superaram a quantidade prevista no edital, não vai haver problemas de interferência no sinal de antena parabólica, também na faixa de 3,5 GHz”.

Publicidade

A estimativa do grupo é que a cobertura do sinal 5G deve atingir, neste primeiro momento, 25% da área urbana de São Paulo.

"A maior concentração de antenas está no Centro Histórico, na região da avenida Paulista e no Itaim Bibi. Já os bairros da Aclimação, Mooca e Brás, por exemplo, terão cobertura menor no início do processo", informou a Anatel.

Publicidade

A agência informou ainda que foram instalados equipamentos para evitar interferências em 226 estações do FSS (Serviço Fixo por Satélite) e realizados testes para confirmar a operação livre de interferências.

Inicialmente, o edital do leilão 5G previa que a infraestrutura necessária à ativação do sinal deveria ocorrer até 31 de julho, em todas as capitais, mas o próprio Gaispi pediu à Anatel que o prazo fosse prorrogado por 60 dias a fim de contornar problemas logísticos que atrasaram a entrega de equipamentos importados da China.

Pelas regras do edital, as operadoras têm até 29 de setembro para cumprir a primeira exigência de no mínimo uma antena de tecnologia de 5G para cada 100 mil habitantes nas capitais brasileiras. O adensamento da cobertura de 5G em 3,5 GHz nas capitais deve ser concluído até julho de 2025, devendo a nova tecnologia estar presente em todos os municípios até 2029.

Na semana passada, foi sancionada a Lei 14.424/2022, que autoriza as operadoras de telefonia a instalar infraestrutura de telecomunicações em áreas urbanas, caso o órgão competente não se manifeste sobre o pedido em 60 dias. Conhecida como "silêncio positivo", a autorização deve facilitar a implantação das antenas 5G de internet no Brasil.

Autorização para a ativação foi dada pela Anatel
Autorização para a ativação foi dada pela Anatel

Interferências

Para contornar possíveis interferências causadas à parte dos cidadãos que utilizam antenas parabólicas da banda C, a EAF (Entidade Administradora da Faixa) da Anatel criou um programa para distribuir, gratuitamente, às famílias carentes das capitais brasileiras e que estão registradas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal, kits com novas antenas digitais, conversores e cabos.

O pedido do kit e de instalação dos aparelhos pode ser feito por meio do site do Programa de Distribuição de Kits, criado pela EFA.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.