Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Conta no TikTok filma usuários da Cracolândia em troca de curtidas

Transmissão ao vivo chegou a reunir mais de 18 mil pessoas simultaneamente; arroba foi banida da rede social após live viral

São Paulo|Do R7

Usuária do TikTok filmava dependentes químicos
Usuária do TikTok filmava dependentes químicos Usuária do TikTok filmava dependentes químicos

Uma usuária do TikTok foi banida da plataforma após fazer uma transmissão ao vivo da Cracolândia, na região central de São Paulo. Na live, além de expor os dependentes químicos, a usuária Jasmine Carter disseminava notícias falsas aos mais de 18 mil espectadores.

“Gente, eles recebem um auxílio do governo que se chama bolsa crack”, afirma a dona da conta, que em seguida fala sobre jogar moedas para as pessoas que estavam na rua.

As atitudes de Jasmine eram questionadas pelas pessoas que assistiam à transmissão ao vivo. Enquanto algumas pediam a ela para arremessar o dinheiro, outras perguntavam o motivo daquilo.

A live ganhou maior notoriedade após uma conta no Twitter repercutir a transmissão ao vivo no TikTok.

Publicidade

“Choque do dia: uma moça no TikTok ganhando dinheiro fazendo live mostrando o fluxo da Cracolândia, no centro de São Paulo. Já tem 250 mil likes nessa, e prometeu jogar moeda lá embaixo”, lamentou a usuária Nadedja Calado.

No Twitter, a maior parte dos comentários era contra a live. “Parem de fazer pessoas estúpidas famosas”, disse uma pessoa em um tuíte.

Publicidade

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

A conta que fazia a transmissão ao vivo, @jasmine_carter19, foi removida da plataforma.

Em nota, o TikTok informou que tem como compromisso "combater comportamentos de exploração humana" e destacou que está comprometido em "defender a dignidade humana individual e garantir" que a plataforma não seja utilizada para que usuários se aproveitem de pessoas vulneráveis.

"Atuamos imediatamente e de forma rigorosa para remover contas que violam nossas Diretrizes da Comunidade assim que identificadas", explicou a empresa

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.