Em quarentena, SP tem menor taxa de acidentes de trânsito desde 2015

Com 2.321 mortes, estado registrou o menor número em um semestre desde que dados começaram a ser compilados por série histórica do Infosiga

Acidentes reduziram na mesma proporção do isolamento social em São Paulo

Acidentes reduziram na mesma proporção do isolamento social em São Paulo

LUCAS LACAZ RUIZ/ESTADÃO CONTEÚDO - 15/05/2020

A quarentena no estado de São Paulo reduziu o número de acidentes de trânsito para as menores taxas registradas em um semestre desde o ano de 2015, início da série histórica do levantamento realizado pelo Infosiga, do governo estadual. De janeiro a junho deste ano foram registrados 2.321 óbitos no Estado, menor número já registrado pelo balanço.

Leia mais: Quarentena reduz acidentes em São Paulo e desafoga o sistema de saúde

O relatório apontou queda de 11% em óbitos e de 16% nos acidentes, que incluem também ocorrências não fatais, na comparação com o ano passado. Os idosos foram o grupo social mais beneficiado com a redução na movimentação: durante a quarentena, óbitos entre este grupo no trânsito caíram 47%. 

Já os acidentes totais reduziram 30%, passando de 51,3 mil ocorrências para 35,6 mil neste ano.

Ao cruzar os dados do Infosiga SP com o índice de isolamento do Simi (Sistema de Monitoramento Inteligente) do Governo do Estado, o relatório verificou que os acidentes aumentam ou reduzem praticamente na mesma proporção.

O perfil da vítima de trânsito no Estado é homem (83%), jovem (26%) e condutor do veículo (60%). Os acidentes estão concentrados no período da noite (53%) e nos finais de semana (46%). A maior parte das vítimas (54%) falece nos hospitais.

Perfil dos acidentes no estado de São Paulo

Perfil dos acidentes no estado de São Paulo

Divulgação/ Infosiga

Mortes por veículo

Os motociclistas seguem liderando as estatísticas de mortes e acidentes, apesar da redução neste ano. Ao todo, foram 891 mortes contra 916 no primeiro semestre de 2019 (-2,7%). Entre os ciclistas, foram 6 mortes a mais (204 casos neste ano contra 198, aumento de 3%). 

Acidentes fatais envolvendo ocupantes de automóvel e pedestres tiveram as maiores reduções.  Foram 526 mortes envolvendo automóveis contra 637 no ano passado, queda de 17,4%. Entre os pedestres, a redução foi similar (16,8%), com 564 vítimas neste ano contra 678 em 2019.  Entre os ciclistas, foram 6 mortes a mais (204 casos neste ano contra 198, aumento de 3%).

Mortes por modais de transporte em São Paulo

Mortes por modais de transporte em São Paulo

Divulgação/ Infosiga