São Paulo Idosa é encontrada morta com marcas no pescoço em São Paulo

Idosa é encontrada morta com marcas no pescoço em São Paulo

Suspeita inicial era de mal súbito, mas vítima de 62 anos estava nua e morta há 4 dias. Fiação elétrica estava debaixo do corpo

  • São Paulo | Isabelle Gandolphi, da Agência Record e Fabiana Gennarini, da Record TV

Idosa é encontrada morta com marcas no pescoço na zona norte de São Paulo

Idosa é encontrada morta com marcas no pescoço na zona norte de São Paulo

Reprodução / Google Street View

Uma mulher de 62 anos foi encontrada morta com marcas no pescoço na Freguesia do Ó, na zona norte de São Paulo, neste sábado (8).

A Polícia Militar foi acionada para uma ocorrência na travessa Roberto Santa Rosa, altura do número 40, na Vila Cruz das Almas, por volta de 12h. No local, foi encontrado o corpo de Maria de Lurdes Jeremias Teixeira.

Segundo a PM, o chamado foi para um caso de morte natural. Mas como a vítima foi encontrada nua e com uma toalha ao lado, a suspeita inicial foi de que a vítima tivesse tido um mal súbito após o banho.

Contudo, o 13º DP (Casa Verde), responsável pela investigação do caso, informou que a perícia constatou que a mulher estava morta há pelo menos quatro dias e que havia uma marca de fio na região do pescoço.

Quando o corpo da mulher foi movido, restos de uma fiação elétrica foram localizados embaixo do corpo, o que levou o caso a ser considerado uma morte suspeita. Além disso, o celular e o dinheiro da vítima foram levados. No local havia ainda objetos quebrados.

De acordo com vizinhos, a mulher tem um namorado e o casal teria discutido na última terça-feira (4). Segundo uma cunhada da vítima, no mesmo dia a idosa havia recebido o pagamento da sua aposentadoria e a do marido, já falecido. Depois disso, ela não foi mais vista.

Segundo a polícia, foram solicitados exames periciais para tentar identificar material genético na fiação encontrada e nas unhas da vítima. O corpo, que está no IML (Instituto Médico Legal) Central, vai passar também por exame para verificar se houve estupro.

O namorado da vítima foi conduzido à delegacia, mas negou as acusações.

Últimas