São Paulo Idoso é expulso de condomínio após espionar mulheres enquanto tomavam banho

Idoso é expulso de condomínio após espionar mulheres enquanto tomavam banho

Carlos Falcone também foi acusado de ameaçar moradores com Rottweiler. Vizinhos comemoram saída: 'paz volta a reinar'

  • São Paulo | Do R7, com informações do Balanço Geral, da Record TV

Em vídeo, idoso acusado de espionar vizinhas durante o banho é flagrado acenando para câmera de segurança

Em vídeo, idoso acusado de espionar vizinhas durante o banho é flagrado acenando para câmera de segurança

Reprodução/Record TV

Carlos Roberto Falcone, um idoso de 70 anos, foi expulso do condomínio onde morava, na Praia Grande, no litoral de São Paulo, após ser acusado de espionar vizinhas enquanto elas tomavam banho. 

As janelas dos banheiros são voltadas para o corredor. A moradora Maria Gorete Santos se lembrou de um episódio entre ela e o suspeito: "Eu perguntei pra ele o que ele tava fazendo. Ele disse: 'o corredor do condomínio é livre'. Eu falei: 'sim, o corredor é livre, espiar a minha janela não. Espiar tomando banho, não'".

O síndico do prédio, José Araújo, informou que o homem demonstrava um comportamento estranho. "Primeiro ele andava mexendo nas coisas, depois começou a espiar as mulheres tomando banho. Começou a gritar, a bater panela de madrugada, até a ficar pelado na porta", contou.

José e outros moradores do condomínio disseram que o idoso ameaçava os vizinhos com um cachorro da raça Rottweiler. A vizinha Neusa Maria Gama conta que as atitudes do homem indicavam que ele podia invadir uma das casas a qualquer momento. "A gente tinha medo mesmo. Quando chegava aqui próximo. A gente avisava no grupo pra alguém ficar de olho pra gente subir".

Em apenas dois anos morando no local, Carlos Roberto foi alvo de vários boletins de ocorrência, mas a ficha criminal dele é mais antiga. As primeiras denúncias contra o homem foram registradas há 43 anos, em 1980, quando ele foi acusado de lesão corporal.

No ano passado, um casal chegou a conseguir uma medida proventiva contra ele, impedindo que o idoso se aproximasse. O advogado do caso, Thiago Garcia, conta que mesmo com a medida, Carlos não parava de incomoidá-los. "Ele continuava atormentando fazendo barulho na porta, espiando no banheiro e foi preso por isso", disse. Ele passou 30 dias preso por descumprir a ordem judicial. 

Neste mês, a Justiça decidiu expulsar Carlos Roberto do condomínio. O apartamento dele está vazio e foi colocado à venda pela família. "É uma decisão muito rara você tirar o proprietário do seu próprio imóvel. E eles aqui já vinham sofrendo há muito tempo. Foram dois anos de luta e sempre o próprio condômino zombava. Parece que o irmão do próprio condomínio que visitava também zombava. E realmente é uma decisão que chama atenção em todos os sentidos. Então podemos dizer que são vitoriosos", disse o advogado.

Os moradores comemoram a expulsão do idoso e exiegem justiça. "Quando falaram pra mim que ele estava detido, meu deus. Eu falei pronto, agora a paz volta a reinar. Ele tem que pagar o que ele fez e ficar pra lá, não aparecer nunca mais. Pelo amor de Deus!", disse Maria Gorete.

Ninguém sabe o paradeiro de Carlos José. O idoso segue sendo investigado pela polícia pelos crimes que cometeu. 

Últimas