Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Polícia de SP prende dez foragidos durante GP de Fórmula 1 com ajuda do sistema Muralha Paulista

Todos os detidos eram alvo de ordem judicial de prisão por crimes de diferentes naturezas, entre eles roubo e pedofilia

São Paulo|Do R7


GP de Fórmula 1 ocorre no Autódromo de Interlagos
GP de Fórmula 1 ocorre no Autódromo de Interlagos

A Polícia Civil prendeu dez pessoas foragidas da Justiça, entre sexta-feira (3) e este sábado (4), durante as atividades do Grande Prêmio de São Paulo de Fórmula 1, que acontece no Autódromo de Interlagos, na zona sul da capital paulista.

Todos os detidos eram alvo de ordem judicial de prisão, em razão de condenação ou decisão cautelar por crimes de diferentes naturezas, entre eles roubo e pedofilia.

As prisões aconteceram a partir da aplicação do programa Muralha Paulista, que identificou a presença dos procurados entre o público graças ao compartilhamento de dados ajustados entre a SSP (Secretaria da Segurança Pública) e a organização do evento.

Reunião que aconteceu entre a organização do evento e a SSP
Reunião que aconteceu entre a organização do evento e a SSP

O sistema, implantado no estado de São Paulo em jogos esportivos, é testado pela primeira vez em um grande evento internacional.

Publicidade

“Trata-se de uma ação da área de inteligência policial com a finalidade de deixar o local do evento mais seguro, impedindo o acesso de pessoas que possam comprometer a ordem pública. Os eventos passam a contar com tecnologia de ponta e parceria entre o setor privado e público, sem nenhum custo de implantação para o estado”, explica o secretário da Segurança Pública de São Paulo, Guilherme Derrite.

Para o GP de Fórmula 1, houve a colaboração da Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal) para o compartilhamento e uso da base de dados para identificar pendências criminais que envolviam o público estrangeiro. Até o momento, todas as detenções realizadas foram de brasileiros.

Publicidade

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

“É uma aproximação que visa impor um regime de controle de acesso efetivo inclusive ao público estrangeiro, presente nesse tipo de evento. Para que seja sistematizado, ainda dependemos de alguns ajustes formais e operacionais com a Polícia Federal, que já demonstrou grande interesse pela iniciativa”, informou o chefe da Assessoria Policial Militar da SSP, coronel Pedro Luis de Souza Lopes.

O que é a Muralha Paulista?

O programa Muralha Paulista funciona a partir da integração do sistema de segurança pública ao banco de dados da organização do evento, onde algoritmos desenvolvidos por meio de inteligência artificial analisam em tempo real as informações cadastrais do público comparecente e gera alertas para o efetivo policial empregado no evento, segundo o tipo de restrição constatada.

O sistema funciona de forma automatizada desde o momento da compra do ingresso, por exemplo, fazendo a verificação em diversas bases de dados estaduais e federais, como o Córtex, que é uma ferramenta de vigilância e controle compartilhada com o estado de São Paulo pelo governo federal por meio de Termo de Cooperação assinado em março deste ano.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.