São Paulo Policial civil agride com cabeçada e chutes advogado no interior de SP; veja vídeo

Policial civil agride com cabeçada e chutes advogado no interior de SP; veja vídeo

O investigador estava tentando entrar na casa de um homem, suspeito de furtar peças de carro, sem um mandado de busca 

  • São Paulo | Do R7*

Um investigador da Polícia Civil agrediu e humilhou um advogado, nesta quarta-feira (5), ao tentar entrar na residência de um homem, suspeito de furtar peças de carro, sem um mandado de busca e apreensão, no município de Batatais, no interior de São Paulo. O episódio foi registrado pela câmera de um celular.

Compartilhe esta notícia no Whatsapp
Compartilhe esta notícia no Telegram

De acordo com a Record TV, o investigador Leonardo Toffeti queria realizar uma busca no imóvel para recuperar peças de veículos furtadas do pátio da delegacia. Como ele não tinha um mandado, o advogado Lucas Lima Roberto impediu a entrada na casa do cliente. 

Descontrolado, o policial empurrou o advogado e lhe deu uma cabeçada no nariz. A vítima, segundo as imagens, é arremessada para o meio da rua. "Você está enchendo muito o saco, rapaz. Você é um bosta", grita o investigador.

A sessão de agressões continua, e Leonardo começa a chutar o advogado. Ele ainda tenta enforcar o rapaz, mas é impedido por um colega de trabalho. O policial também humilha e xinga o alvo diversas vezes com palavras de baixo calão.

Advogado tentava impedir entrada de policial em imóvel

Advogado tentava impedir entrada de policial em imóvel

Reprodução/Record TV

"Os filhos menores de idade estavam sendo acusados pelos policiais de furto. Chegando na residência, os policiais estavam tentando entrar. Eu os questionei se existia um mandado de busca, pois é necessário um mandado para violar um domicílio alheio", explicou o advogado criminal à reportagem.

“Nós, advogados criminais, defendemos os direitos e garantias fundamentais das outras pessoas. Então, não é somente um cerceamento da minha profissão. É um cerceamento a sociedade como um todo. E, como pessoa, eu me sinto muito amedrontado, sendo bem sincero. Estou temeroso pela minha vida", ainda afirmou.

De acordo com a SSP (Secretaria de Segurança Pública), o caso está sendo investigado pela Corregedoria de Ribeirão Preto. Questionada se o policial foi afastado do cargo, a pasta se recusou a responder.

"O caso citado é investigado pela 3°Corregedoria Auxiliar de Ribeirão Preto, que realiza diligências para esclarecer todas as circunstâncias relativas aos fatos. Mais detalhes serão preservados para garantir a autonomia do trabalho policial", informou a pasta.

*Com colaboração de Matheus Almeida

Últimas