São Paulo Rapaz atropela e mata criança ao empinar moto em SP; veja o vídeo

Rapaz atropela e mata criança ao empinar moto em SP; veja o vídeo

Garoto de 8 anos atravessava a rua com a mãe quando motociclista o atingiu; suspeito do crime fugiu do local sem prestar socorro

  • São Paulo | Do R7

Um rapaz que empinava uma moto atropelou e matou uma criança de 8 anos no Capão Redondo, zona sul de São Paulo. O caso ocorreu na última quinta-feira (23), mas a Record TV conseguiu as primeiras imagens de câmera de segurança na noite do último sábado (25).

Após o atropelamento, o jovem Gabriel Brito de Mello foi levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada da sexta-feira (24). O velório e o enterro ocorreram no Cemitério Jesuítas, em Embu das Artes, região metropolitana de São Paulo.

Entenda o caso

Rapaz atropela e mata garoto ao empinar moto em SP

Rapaz atropela e mata garoto ao empinar moto em SP

Reprodução/Record TV

Uma prima da vítima, identificada como Jéssica, informou que a criança e a mãe, Rita de Cássia de Brito, estavam na casa de um parente, em visita, durante o dia.

Por volta das 17h30, mãe e filho decidiram ir embora e, quando estavam atravessando a rua para chegar ao ponto de ônibus, Gabriel foi atingido por uma moto empinada.

Com a batida, segundo a prima, a criança foi arremessada. O impacto da colisão foi tão forte que chegou a arrancar as calças do menino.

Após o acidente, o condutor da moto, depois identificado como Felipe, fugiu ileso do local. Testemunhas tentaram segurar o jovem, mas ele escapou.

Um homem que passava pelo local socorreu a criança e a levou para o Hospital M'Boi Mirim, onde Gabriel deu entrada com traumatismo craniano.

Na madrugada da sexta-feira (24), por volta das 5h, o menino não resistiu aos ferimentos e morreu.

Durante o período em que Rita aguardava notícias sobre o filho, a família do condutor da moto compareceu à unidade médica para conversar com a família.

A princípio, o jovem se apresentou como Paulo, assim como registrado no boletim de ocorrência. Depois, foi constatado que o motoqueiro se chamava, na verdade, Felipe.

Segundo Jéssica, os parentes do suspeito foram embora antes da notícia da morte de Gabriel. Desde então, a família não consegue mais contato.

A prima do menino ainda afirma que a família está muito abalada com tudo. O pai do garoto, que é autista, não reagiu bem à notícia.

A empresa onde o pai de Gabriel trabalha está arcando com todos os custos do velório e enterro da criança.

O boletim de ocorrência foi registrado no 100° Distrito Policial do Jardim Herculano. O caso foi apresentado como homicídio culposo na direção de veículo automotor.

Últimas