São Paulo Teste do pezinho em SP é ampliado e poderá detectar 47 doenças

Teste do pezinho em SP é ampliado e poderá detectar 47 doenças

Atualmente, apenas seis doenças podem ser detectadas. Diagnóstico precoce ajuda a evitar danos ao desenvolvimento, sequelas, internações e mortes

SP vai ampliar capacidade de diagnóstico do teste do pezinho

SP vai ampliar capacidade de diagnóstico do teste do pezinho

Pixabay

O teste do pezinho será ampliado na cidade de São Paulo, possibilitando o diagnóstico não mais de apenas seis doenças, mas de 47, informou a prefeitura nesta terça-feira (6).

Nascem, em média, 8.700 bebês por mês atendidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) na capital paulista. Para todos passarem pelo teste, a prefeitura passará a realizar cerca de 52.200 exames por mês. O objetivo da gestão municipal é, com o diagnóstico precoce, prevenir danos ao desenvolvimento neuropsicomotor, sequelas, internações e mortes.

O exame detecta doenças genéticas, congênitas, infecciosas, problemas de metabolismo e de imunidade. Para a ampliação da testagem, haverá uma readequação nos fluxos de coleta, recoleta, exames confirmatórios, busca ativa e  de capacitação da rede.

A iniciativa é realizada em parceria com o Instituto Jô Clemente (IJC, antiga Apae de São Paulo), pioneiro na realização do exame e abrange capacitação técnica, realização do exame e liberação do laudo, realização de exames confirmatórios, apoio médico aos resultados de exames, e aconselhamento genético dos casos diagnosticados, que deverão ser tratados e acompanhados pela rede de Saúde.

A prefeitura anunciou ainda que, para melhor acolher as gestantes, os ambientes de sete maternidades municipais receberam janelas e visores que possibilitam a participação da família durante o nascimento do bebê. As unidades são as de Campo Limpo, M’Boi Mirim, Hospital Ignácio Proença Gouvêa, Tide Setúbal, Ermelino Matarazzo, Hospital Pirituba Hungria e Hospital Maternidade Mário Degni.

Últimas