Saúde Câncer de mama: hipnose é oferecida contra efeitos da quimio

Câncer de mama: hipnose é oferecida contra efeitos da quimio

Método, que faz parta das Práticas Integrativas e Complementares do SUS, ajudaria a amenizar náuseas e fadiga por meio de 'reinterpretação da mente'

  • Saúde | Brenda Marques, do R7

A hipnoterapia ajudaria a amenizar efeitos da quimio no câncer de mama

A hipnoterapia ajudaria a amenizar efeitos da quimio no câncer de mama

Reprodução/Record TV

A hipnoterapia é um método de terapia que usa a hipnose, estado psicológico induzido, como ferramenta. “É possível trabalhar diversas questões do subconsciente e reprogramar a mente”, afirma o hipnoterapeuta Vitor Madureira. Segundo ele, o tratamento pode ser complementar para lidar com efeitos colaterais da quimioterapia, como náuseas e fadiga.

O hipnoterapia é uma das Práticas Integrativas e Complementares oferecidas pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Leia também: Uma em cada 12 mulheres receberá diagnóstico de câncer de mama

“A dor é uma interpretação da mente, então a gente consegue aliviá-la. O mesmo serve para efeitos colaterais da quimioterapia e da radioterapia, como náuseas e fadiga”, exemplifica o hipnoterapeuta. “A ressignificação de sentimentos também possibilita mudar o impacto da queda de cabelo na autoestima da mulher”, acrescenta.

Os maiores fatores de risco para o câncer são tabagismo, alcoolismo e obesidade, ressalta o profissional. A hipnoterapia também é utilizada para tratá-los. "A técnica é utilizada para combater esses problemas e ,dessa forma, prevenir outras doenças", diz ele.

O especialista diz que qualquer paciente pode fazer a hipnoterapia. “A pessoa só precisa querer e seguir as instruções do hipnoterapeuta”, afirma Vitor.

Segundo ele, com o método, a principal questão tratada são emoções negativas.
“A gente busca acessar esses momentos que geraram a emoção negativa a partir de um estado elevado de concentração e dá uma nova interpretação para aquele momento”, explica Vitor.

Saiba mais: Por que mais de 70% dos casos de câncer de mama no Brasil são diagnosticados em estágio avançado

De acordo com ele, desde os três meses de gestação a mente já registra emoções positivas e negativas a fim de moldar o comportamento. “Então, quando acontece algo que gera uma emoção negativa a mente registra. Conforme outras situações que geram a mesma situação se acumulam, aquilo transborda e gera um problema”, acredita.

Tire todas as suas dúvidas sobre o câncer de mama:

Últimas