"A segurança é nossa prioridade", afirma executiva do Facebook

Em entrevista ao R7, a gerente de Programas de Segurança da rede social revela iniciativas para combater o assédio e o bullying

"A segurança das pessoas é nossa prioridade", afirma executiva do Facebook

Rede social promoveu encontro em espaço dedicado ao desenvolvimento tecnológico

Rede social promoveu encontro em espaço dedicado ao desenvolvimento tecnológico

Divulgação/Hack

Após um grande desenvolvimento técnico na última década, a internet agora busca se tornar mais humana. Dar segurança às pessoas e tornar o ambiente digital livre de bullying, assédio e violência. A dificuldade é tremenda e exige o desenvolvimento de uma série de ferramentas.

O Facebook já enfrentou problemas com acusações sobre manipulação de eleições e conteúdos extremista. O Google teve questões graves com vídeos no YouTubeproblemas internos com funcionários que se colocaram ativamente contra a diversidade. Recentemente, o Twitter criou ferramentas para reprimir conteúdo de ódio.

No Brasil, o Facebook é um dos líderes de iniciativas para melhorar a segurança da internet. No último dia 5, véspera do Dia da Internet Segura, a empresa organizou uma ampla programação voltada para conscientizar adolescentes. Entre as atividades, os jovens deveriam propor soluções para problemas comuns da rotina online deles: xingamentos, assédio, bullying e vazamento de fotos íntimas.

A ideia era abrir canais para que fosse explicado como funcionam as ferramentas para combate esses comportamentos. O encontro ocorreu na Estação Hack, em São Paulo, um espaço dedicado ao desenvolvimento tecnológico, o ensino de programação e o apoio a startups.

Segundo Daniele Fontes, Gerente de Programas de Segurança da rede social na América Latina, uma das prioridades da rede social é "desenvolver tecnologia para manter as pessoas seguras".

Dois dos programas do Facebook para aumentar a segurança dos usuários já foram lançados. Um deles facilita interromper a comunicação de alguém que está sofrendo assédio e o outro permite descobrir se alguém está utilizando fotos de outros usuários de maneira indevida.

Daniele Fontes é Gerente de Programas de Segurança do Facebook

Daniele Fontes é Gerente de Programas de Segurança do Facebook

Divulgação/Facebook

— A segurança é a nossa maior prioridade, e trabalhamos constantemente para criar uma comunidade segura dentro e fora do Facebook. Um dos nossos principais desafios é disseminar conteúdo educativo e conscientizar as pessoas quanto aos recursos que elas têm à disposição — afirma Fontes, em entrevista ao R7.

Ela ressalta que existe uma ampla estrutura que os usuários não enxergam, mas que envolve revisar conteúdo que dois bilhões de pessoas fazem upload para a rede todos os dias.

Esses centros trabalham em conjunto com inteligência artificial, que mapeia individualmente fotos íntimas e propagadas sem consentimento, por exemplo. Esse material passa a ser identificado pelo sistema e, se alguém tentar refazer as postagens, é bloqueado automaticamente.

A tecnologia não é a única aliada no combate aos maus comportamentos na rede. Segundo a executiva, a empresa tem parcerias com diversas entidades para colocar em contato pessoas em situações traumáticas a grupos que podem ajudá-las.

— Estamos há mais de uma década desenvolvendo recursos para pessoas em situações de estresse emocional, trabalhando com organizações reconhecidas como o Centro de Valorização da Vida (CVV) e a SaferNet no Brasil. Por causa das relações que as pessoas têm com amigos e parentes no Facebook, estamos em uma posição única para conectar aqueles em perigo com quem pode ajudá-los — pontua Fontes.

A Central de Segurança do Facebook trabalha para buscar esses casos e reunir o máximo de informação possível sobre cada um deles. 

— Continuamos trabalhando para desenvolver cada vez mais recursos e parcerias para tornar a experiência na plataforma positiva — finaliza Fontes.

    Access log