Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Tecnologia e Ciência
Publicidade

Meteoro explode no céu na região da fronteira do RS com o Uruguai

Astro de menos de 1 metro de diâmetro cruzou a atmosfera da Terra e virou uma grande bola de fogo no ar antes de atingir o solo 

Tecnologia e Ciência|Sofia Pilagallo, do R7*

Fenômeno foi registrado pelo Observatório Espacial Heller & Jung
Fenômeno foi registrado pelo Observatório Espacial Heller & Jung Fenômeno foi registrado pelo Observatório Espacial Heller & Jung

Um meteoro iluminou céu na região da fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai na madrugada desta segunda-feira (23). O bólido, nome dado a um meteoro que explode no ar, teve magnitude -7, o que é considerado elevado. O fenômeno foi registrado pelo Observatório Espacial Heller & Jung, situado em em Taquara, a 426,9 km de distância do local da explosão.

Leia também

O astro de menos de 1 metro de diâmetro entrou na atmosfera da Terra a 103 quilômetros de altitude e explodiu logo na sequência, segundo o diretor da Região Sul da Bramon (Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros), Carlos Fernando Jung.

"Corpos celestes de até 1 metro de diâmetro que adentram na atmosfera são considerados de meteoroides. Já aqueles que têm mais de 1 metro de diâmetro são considerados pequenos asteroides", explica o astrônomo.

De acordo com o professor, qualquer meteoroide que atinge a magnitude de -4 e se extingue no ar são considerados fireballs (bolas de fogo, em português), devido a sua forte luminosidade. Aqueles que explodem no ar, no entanto, como foi o caso desta madrugada, são considerados bólidos.

Publicidade

Apesar de a chuva de meteoros Leoníadas ter tido seu pico na última terça-feira (17), o astrônomo garante que o bólido não é proveniente do fenômeno.

"O bólido ainda não foi classificado e não pertence a nenhuma chuva conhecida. É possível que ele seja proveninete de algum corpo ainda não conhecido", explica.

Publicidade

O astrônomo explica que a maioria dos meteoros recebe a designação de meteoros esporádicos, ou seja, que ainda não têm classificação.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Saiba as diferenças entre cometas, asteroides, meteoros e meteoritos

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.