Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Tecnologia e Ciência
Publicidade

Motorola deixa modelos Vibe de lado e quer ganhar espaço com celulares mais baratos

Empresa lançou quatro smartphones por menos de R$ 1.000 em 2017

Tecnologia e Ciência|Tiago Alcantara, do R7


Consegue identificar todos eles? Moto C, Moto E4 e Moto E4 Plus
Consegue identificar todos eles? Moto C, Moto E4 e Moto E4 Plus

Quem acompanha os lançamentos de celulares sabe que a chinesa Lenovo comprou a Motorola e tentou trazer seus smartphones Vibe para o Brasil em 2015. De lá para cá, a fabricante teve algumas mudanças no trajeto e houveram mudanças no line-up de smartphones da marca. O ano de 2017 confirma que a "era Vibe" deve ser deixada de lado, já que os celulares Moto são muito mais populares e queridos no Brasil.

Desde que a linha Moto chegou ao Brasil, esse é o ano com maior número de aparelhos disponíveis para o consumidor nacional. Anote para não perder a conta. Desde janeiro, já foram lançados seis aparelhos (Moto C Plus, Moto E4 e E4 Plus, Moto G5, Moto G5 Plus e Moto Z2 Play). Eles se juntam aos modelos mais avançados: Moto Z e Moto Z Play, anunciados em 2016.

R7 Testou: Moto G5 tem uma boa relação custo-benefício?

E a família vai crescer: a marca anunciou um evento que deve revelar novidades na próxima quinta-feira (24). Não seria surpresa se a fabricante finalizasse agosto com uma média de 1 celular novo por mês em 2017 - um novo Moto X é esperado e ainda há a possibilidade do Moto Z Force pintar no País. O R7 conversou com o gerente de produtos da Motorola Brasil, Thiago Masuchette para entender o posicionamento da empresa e também "colocar ordem" no catálogo Moto para esse ano.

Publicidade

De acordo com o gerente de produtos da marca, a decisão da fabricante pela amplição de seu catálogo foi baseada em pesquisas de opinião. Para Masuchette, o mercado nacional está mais maduro e os consumidores já chegam informados aos pontos de venda. O executivo da Motorola Brasil ainda comenta que as linhas têm uma denominação em ordem alfabética para facilitar a idenfificação dos produtos.

— Hoje em dia, o mercado brasileiro tem celulares desde R$ 450 até R$ 4.000. A nossa ideia é ter disponibilidade para todos os clientes, atendendo todos os gostos. Ter um aparelho da marca presente em todos os campos.

Publicidade

O executivo também explicou as diferenças principais entre os modelos mais recentes. Confira:

Moto C Plus

Moto C tem bateria como diferencial
Moto C tem bateria como diferencial

A linha Moto C é uma das linhas complementares da marca, que chega para pegar os consumidores que estão em busca de uma opção mais barata ou de um primeiro smartphone. O celular vem embarcado com a versão mais recente de Android (Nougat) e tem uma tela HD de cinco polegadas. Outros diferenciais da marca são bateria e câmera frontal, como aponta Masuchette.

— O Moto C é o aparelho de entrada da Motorola. No Brasil, trouxemos o Moto C Plus. O grande benefício é ser um aparelho que tem uma bateria de 4.000 mAh, além do carregador rápido, dentro da caixa para o usuário. É um aparelho para usar o dia todo, mesmo longe da tomada. Ele traz também o flash frontal e a câmera traseira tem o recurso de HDR, algo difícil de você encontrar nesse segmento de preço.

O modelo ainda conta com TV Digital, Rádio FM e está disponível nas cores preto e dourado com preço sugerido de R$ 699.

Moto E

A linha E também voltou em 2017. A volta da marca "pulou" uma edição, o Moto E3, que não foi lançado oficialmente no Brasil. Masuchette lembra que a estratégia de apresentar duas empresas e perfis aos consumidores: Motorola e Lenovo (com a linha Vibe). Com a constatação de que o nome Moto ainda é forte com no imaginário nacional, a marca trouxe dois modelos E em 2017: Moto E4 e E4 Plus.

— Em nenhum momento vamos abandonar a linha Vibe, continuamos dando toda a prestação de serviço. Mas, aos poucos, nosso portfólio vai seguir com a linha Moto.

De volta ao Brasil, linha Moto E tem acabamento metálico
De volta ao Brasil, linha Moto E tem acabamento metálico

A proposta do Moto E4 é ter opções premium sem precisar pagar um valor muito alto por isso. O celular tem uma tela HD de 5 polegadas, 16 GB de armazenamento e 2 GB de memória RAM. Uma das principais tendências notadas pelas pesquisas da empresa é o acabamento.

— A família Moto E vem com acabamento metálico, que faz diferença na pegada que você tem no telefone e permite trabalhar com cores mais fiéis do que uma pintura sobre plástico.

Os aparelhos também contam com telas HD e sensores de impressão digital, que também permite fazer a navegação do aparelho, aumentando a área útil da tela, substituindo os botões virtuais do sistema Android. O aparelho é vendido nas cores ouro rosê, azul metálico e preto. O preço sugerido é de R$ 849.

No caso do Moto E4 Plus, a tela é um pouco maior: 5,5 polegadas com tela HD. Já o processamento quanto a memória do aparelho é idêntica ao do outro modelo E. Outro destaque é a bateria de 5000 mAh. De acordo com o executivo, essa diferenciação atende uma necessidade de um perfil de usuário mais ativo.

— A ideia é você ter aparelhos que agradem a todos os gostos. Tem gente que prefere um telefone com uma bateria maior, sabendo que o aparelho vai ser mais pesado, mas prefere. O usuário

Já o Moto E4 Plus está disponível nas cores dourado, azul metálico e preto, com preço sugerido de R$ 949.

Moto G5

Já o Moto G5 está R$ 50 mais caro do que o modelo Moto E4. Para o gerente de produtos da Motorola Brasil, há uma diferenciação de propósito de cada um dos aparelhos, principalmente por conta das funções de cada um.

— Se você comparar especificações por si só entre o Moto G5 e o Moto E4 Plus, há propostas diferentes. O E4 Plus é um dispositivo para quem quer bateria e tela, já o Moto G5 tem uma tela menor, mas segue para um segmento que tem processador octa-core. A escolha depende muito da forma como cada pessoa usa o celular.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.