Fiscalização da prefeitura termina em tiros no mercado de Água de Meninos

Fiscalização da prefeitura visava coibir a venda irregular de mariscos fora do mercado

  • Bahia
  • Do R7

Guardas municipais atiram em frente ao Mercado de Água de Meninos
Guardas municipais atiram em frente ao Mercado de Água de Meninos Reprodução/Record TV Itapoan

Uma fiscalização da prefeitura terminou em confusão e tiros em frente ao Mercado Municipal de Água de Meninos, no bairro da Calçada, em Salvador. Segundo populares, um tulmuto foi formado quando a Guarda Municipal, que acompanhava o trabalho dos fiscais recolhendo mercadorias vendidas em pontos não regularizados, dispararam tiros. 

Leia mais notícias no R7 BA

Muita gente começou a filmar com telefone celular, quando guardas municipais teriam começado a recolher os aparelhos. Testemunhas contam que muitos telefones foram levados e outros quebrados.

Experimente grátis toda a programação da Record no R7 Play

Em nota, a SEMOP (Secretaria Municipal de Ordem Pública), afirmou que alguns vendedores, que insistem em trabalhar de maneira irregular, resistiram às apreensões e agrediram a equipe de fiscalização, jogando pedras em veículos da Prefeitura e um automóvel contra os agentes, causando tumulto no local.

Durante a ação, fiscais do órgão encontraram diversos feirantes comercializando pescados em más condições de higiene na parte externa do mercado, embaixo do viaduto, local inadequado e proibido para qualquer tipo de comercialização.

Ainda de acordo com a SEMOP, a operação contou com o apoio da Guarda Civil Municipal, que não realiza apreensões, notificações e autuações de ambulantes durante as atividades realizadas pelo órgão. Os guardas civis participam das operações para garantir a realização do serviço, bem como a proteção dos agentes públicos e munícipes presentes.

Assista à programação da Record TV 24 horas

Sobre a realização de disparos de arma de fogo, a Guarda Civil Municipal informa que as declarações estão sendo prestadas na delegacia junto aos agentes da Semop que foram vítimas de agressão.

Assista: