"Se não tiver proposta, não temos outra saída a não ser uma greve por tempo indeterminado", dizem rodoviários

Expectativa da categoria é nova reunião entre prefeitura e Superintendência do Trabalho

  • Bahia
  • Do R7 com Record TV Itapoan
Sem novidades nas negociações com as empresas, categoria aprova greve
Sem novidades nas negociações com as empresas, categoria aprova greve Divulgação

Os rodoviários de Salvador decidiram em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (18), a paralisação dos ônibus a partir da próxima terça-feira (23).

Sem novidades nas negociações com as empresas de transportes (SETEPS), segundo Hélio Ferreira, presidente do Sindicato dos Rodoviários, a expectativa da categoria é a reunião que será realizada na sexta- feira (19), com o prefeito ACM Neto e a SRT (Superintendência Regional de Trabalho).

— Se não tiver proposta, nós não temos outra saída a não ser uma greve por tempo indeterminado. Não vai rodar ônibus, pode ter certeza disso.

Leia mais notícias no R7 BA

Ainda nesta quinta-feira, os rodoviários realizam uma nova assembleia na quadro do Sindicato dos Bancários e depois seguem em passeata pelo centro da cidade.

Experimente grátis toda a programação da Record no R7 Play

De acordo com o diretor do Sindicato dos Rodoviários, Daniel Mota além da capital, rodoviários do interior também devem aderir à greve.

— Não vão parar só os ônibus urbanos, vai parar também os trabalhadores que rodam para os interiores do estado da Bahia, o fretamento, que é pessoal da indústria, turismo e locadoras.

— Esperamos que os poderes públicos, a prefeitura, sensibilize os empresários, porque Salvador e a Bahia não podem pagar o preço de uma greve por falta de entendimento.

De acordo com o sindicato, os profissionais pedem 5% de ganho real além da inflação, a manutenção da função de cobrador em todas as linhas e horários, ticket-refeição de R$ 20 e o fim da dupla jornada - quando o motorista dirige e ainda cobra.

Assista à programação da Record TV 24 horas

Na terça-feira (16), os ônibus tiveram a saída das garagens atrasadas por quatro horas. Foram atrasadas as saídas de ônibus em quatro garagens: Plataforma G1 (antiga Praia Grande, no Subúrbio), OT Trans G1 (antiga São Cristovão, em Porto Seco Pirajá), CSN Iguatemi (antiga BTU) e uma do Subsistema de Transporte Especial Complementar (Stec), localizado no bairro do Retiro. Com a falta de ônibus, os pontos ficaram lotados durante as primeiras horas da manhã.