Ao menos 13 pessoas morrem em naufrágio de embarcação no Pará

No momento do naufrágio, cerca de 70 pessoas estavam na embarcação

Familiares se reuniram em Porto de Moz em busca de informações
Familiares se reuniram em Porto de Moz em busca de informações Reprodução/Record TV

Uma embarcação com cerca de 70 pessoas naufragou nesta terça-feira (22) em uma área denominada de Ponte Grande do Xingu, localizada entre Governador José Porfírio e Porto de Moz, no Pará. A Segup (Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social) informou que na manhã desta quarta-feira (23) 25 pessoas foram encontradas com vida e 13 achadas mortas.

Cerca de 30 pessoas estão desaparecidas. O número exato de pessoas à bordo não foi divulgado.

Um dos passageiros, identificado como Tia, contou que a embarcação começou a sacudir com fortes rajadas de vento e o desespero tomou conta das pessoas.

— Consegui sair do barco logo que naufragou. Era umas nove da noite. Umas vinte pessoas também conseguiram sair e começamos a nadar para a margem. Chegamos na beira mata por volta das 3h da madrugada já, e saímos em busca de ajuda.

A embarcação tem o nome de Comandante Ribeiro. Ela saiu de Santarém às 18h de segunda-feira (21) e deveria chegar a em Vitória do Xingu nesta quarta, segundo o Comando do 4º Distrito Naval da Marinha. O roteiro previa escalas em Monte Alegre, Porto de Moz e Senador José Porfírio. O acidente, no entanto, aconteceu horas após a saída de Porto de Moz.

Sem sinal

A área onde o naufrágio aconteceu é conhecida como Ponta Grande, fica distante de centros urbanos e não tem sinal de celular. Além disso, esse trecho do rio Xingu é muito aberto, o que pode dificultar as buscas. São pelo menos 12 km de uma margem a outra.

No porto de Vitória do Xingu, para onde a embarcação seguia, familiares se reúnem em busca de notícias. A movimentação de equipes de resgate embarcando para o local da tragédia causou desespero nos parentes de passageiros que estão desaparecidos. A lista das pessoas que estavam na embarcação ainda não foi divulgada.

Embarcação naufragou no rio Xingu
Embarcação naufragou no rio Xingu Reprodução/Twitter/Ansa Brasil

Operação de resgate

Trabalham no resgate do naufrágio as Defesas Civis Municipais de Belém, Governador José Porfírio e Vitória do Xingu, além da Marinha.

A Segup iniciou um núcleo de emergência na Câmara dos Vereadores do município de Porto de Moz. A Polícia Civil investiga as causa do naufrágio.

Duas aeronaves do Graesp (Grupamento Aéreo de Segurança Pública) decolaram de Belém levando reforço do efetivo da Defesa Civil, do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, do Grupamento Fluvial e da Diretoria de Telecomunicações da Segup.

Em nota, a Marinha informou que "um inquérito administrativo será instaurado para apurar causas, circunstâncias e responsabilidades do acidente".

— A Capitania dos Portos do Amapá enviou uma lancha ao local para realizar buscas e coletar informações preliminares. A Marinha deslocou o Navio-Patrulha Bocaina para a área a fim de auxiliar nas buscas também.