Cidades

23/2/2014 às 08h54 (Atualizado em 23/2/2014 às 10h26)

Cheia do Rio Madeira deixa mais de 8.000 desabrigados em Rondônia

Nível do rio, que teve aumento recorde, impede tráfego em rodovia que liga o Estado ao Acre

Do R7, com Agência Brasil

Divulgação/Defesa Civil

A cheia do Rio Madeira deixa mais de 8.000 desabrigados em Rondônia, de acordo com números divulgados pela Defesa Civil do estado. O nível do rio, que registrou um aumento recorde em apenas oito dias, já impede a passagem de caminhões na BR-364, rodovia que liga Rondônia ao Acre.

Sem poder acessar a BR-364, o Acre está isolado do resto do país. Nem mesmo caminhões podem passar pela via, por conta do aumento de 70 centímetros no nível do rio, nos últimos dias.

Leia mais notícias de Cidades

A Polícia Rodoviária Federal bloqueou o tráfego de carretas na estrada, pois a pista corre o risco de ceder. A BR-163, no Mato Grosso, também está alagada entre os municípios de Sorriso e Lucas do Rio Verde, na região norte do estado. O rompimento de uma barragem da represa inundou a via e causou acidentes.

Estado de calamidade

O Rio Madeira atingiu a marca de 18,2 metros neste sábado (22) e, com o aumento no nível do rio, o governo do estado de Rondônia estuda decretar estado de calamidade, segundo informou o coordenador da Defesa Civil em Porto Velho, coronel Pimentel. De acordo com ele, o número de famílias desabrigadas em Porto Velho pode ultrapassar os 2 mil.

Um relatório do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) aponta que quatro rodovias federais no Estado estão com o trânsito prejudicado. A BR-319, que passa por Porto Velho, está alagada e o trânsito liberado apenas em meia pista. Na BR-425, que passa por Guajará-Mirim, também há alagamento.

O Dnit está trabalhando para disponibilizar uma rota alternativa pela BR-421, que corta as cidades Nova Mamoré, Nova Dimensão e União. Na BR-429, na altura do quilômetro 116, entre Alvorada do Oeste e São Miguel do Guaporé, houve rompimento do aterro da cabeceira da Ponte de Madeira sobre o Igarapé Sossego. O tráfego está liberado apenas para veículos leves.

Já na BR-364, que liga Porto Velho ao Acre, entre os quilômetros 800 e 871, ainda há muita água sobre a pista. Equipes do Dnit estudam a instalação de barreiras para conter o avanço da água. Homens da Força Nacional de Segurança também atuam para controlar o fluxo de carros entre os dois Estados.

Na capital Acreana, Rio Branco, a situação tende a se estabilizar. O nível do Rio Acre diminuiu e na manhã deste sábado atingiu a marca dos 15 metros.

No Amazonas, equipes do DNIT providenciam um desvio no quilômetro 280, da BR-230, que liga Apuí a Humaitá, por causa do rompimento de um bueiro.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
Compartilhe
Pacto de morte coletivo

Pais dizem que filhas não demonstraram variação no comportamento

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Jovem, rica e bela

Saiba quem é a mulher que largou tudo para ficar com Roger Abdelmassih

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Palmas (TO)

Suspeito de estuprar e matar mulher ri ao ser preso e debocha: “Saio em 3 meses”

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Crime bárbaro

Mãe conta como matou a filha de 7 anos para ritual no PR; ossada é encontrada

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de Cidades

  • Últimas de Notícias

Compartilhe
Braço amputado

Tigre ataca menino de 11 anos em zoo do Paraná ; pai responderá por lesão

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!