Grupo independentista da Córsega anuncia abandono das armas

Paris, 25 jun (EFE).- O grupo independentista Frente de Libertação Nacional da Córsega (FLNC) anunciou nesta quarta-feira o abandono "incondicional " da luta armada, "o início de um processo de desmilitarização e a saída progressiva da clandestinidade". Em comunicado repercutido pela imprensa francesa, o grupo separatista faz um apelo aos políticos eleitos da ilha mediterrânea para a "instauração de um novo estatuto negociado com o Estado francês" e a resolução da questão dos chamados "prisioneiros e procurados políticos". "Nossa organização, sem condições prévias e sem equívocos, decidiu unilateralmente realizar um processo de desmilitarização e uma saída progressiva para a clandestinidade", indicou o FLNC. Seu comunicado, de 14 páginas e autenticado pela publicação mensal "Corsica", acrescenta que, desde o momento de sua divulgação, seus integrantes rejeitarão as ações militares "no território córsico e francês". O FLNC foi fundado em 1976 para reivindicar o independentismo córsico e inspirou seu nome na Frente de Libertação Nacional da Argélia. Desde sua criação, se dedicou à extorsão e a exigir o chamado "imposto revolucionário" aos franceses continentais residentes na Córsega e "aos pés pretos", repatriados da Argélia que entre 1958 e 1970 se instalaram na planície da regiáo oriental da ilha. Responsável por dezenas de assassinatos e centenas de atentados desde 1983, a intimidação das máfias tinha tomado o lugar nos últimos anos às ações terroristas. O grupo considera que o Governo central francês pratica sobre a Córsega há 250 anos uma "gestão puramente colonial", que, segundo sua opinião, instalou o nepotismo e o clientelismo como eixos do poder político. EFE mgr/ma