Terremoto de 6,8 graus deixa pelo menos 39 feridos no centro do Japão

O terremoto aconteceu no norte
da província de Nagano, com hipocentro a 10 quilômetros de profundidade

A cidade de Omachi e em Nagano, capital da província, outras 12 pessoas foram internadas com urgência Reprodução/Wikimedia Common

Um terremoto de 6,8 graus de magnitude na escala Richter sacudiu neste sábado a província de Nagano, no centro do Japão, e deixou pelo menos 39 feridos após provocar desmoronamentos em várias casas, além cortes de luz e água, informou a emissora pública "NHK".

A cidade aparentemente mais afetada é a de Hakuba (200 quilômetros ao noroeste de Tóquio), onde se situou o epicentro e onde pelo menos cinco casas foram parcialmente derrubadas. As 21 pessoas, incluído uma criança de dois anos, que estavam dentro desses imóveis foram resgatadas com sucesso pelas equipes de emergência. Duas delas foram transferidas ao hospital, mas se desconhece a gravidade de seus ferimentos.

Na cidade de Omachi e em Nagano, capital da província, outras 12 pessoas foram internadas com urgência, três delas com ferimentos graves, segundo detalhou a "NHK". Uma equipe das Forças de Autodefesa (Exército) foi enviada à região para auxiliar nos trabalhos de resgate e na reparação de danos materiais. O tremor não ativou o alerta de tsunami, segundo informou a Agência Meteorológica do Japão.

O terremoto, que aconteceu às 22h08 locais (12h08 de Brasília) no norte da província de Nagano, com hipocentro a 10 quilômetros de profundidade, foi seguido por fortes réplicas. O sismo alcançou uma intensidade de 6 inferior na escala japonesa fechada de 7 graus (centrada nas áreas afetadas mais que na intensidade do tremor) na cidade de Nagano, capital da província, e nas localidades de Otari e Ogawa.

A Tokyo Electric Power (TEPCO), operadora da usina nuclear de Kashiwazaki-Kariwa, que se encontra perto do epicentro do tremor, informou que a planta, desativada por causa do acidente provocado pelo terremoto e tsunami de 2011 na usina atômica de Fukushima, não registrou problemas de nenhum tipo.

A TEPCO também confirmou que a própria central de Fukushima não sofreu anomalia alguma após o tremor. O governo da província de Nagano cifrou por enquanto em 1.600 os lares da região que ficaram sem luz após o terremoto, que aparentemente também afetou o abastecimento de água potável.

Várias linhas de trens de alta velocidade paralisaram as operações após o tremor, mas as retomaram pouco depois. No entanto, a companhia East Japan Railway decidiu fechar nas próximas horas por motivos de segurança um trecho que une Nagano e Tóquio.

Mais cedo, um terremoto de magnitude 6,3 fez a terra tremer em parte da província de Sichuan, no sudoeste da China, por volta das 16h55 locais (6h55 de Brasília). As autoridades não deram informações sobre vítimas ou danos materiais. O tremor afetou o condado de Kangding, na região autônoma tibetana de Ganzi, no oeste de Sichuan, segundo o Centro de Redes de Terremotos da China.

  • Espalhe por aí:
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!