• Twitter Created with Sketch.

Minas Gerais

Aplicativo de mensagens de celular ajuda policiais a encontrar bandidos

Grupo criado entre moradores e PM pelo Whatsapp auxilia na denúncia de crimes

Do R7, com Record MG

Militares pretendem fazer mais grupos no aplicativo
Militares pretendem fazer mais grupos no aplicativo Record MG

Moradores do bairro Visão, em Lagoa Santa, na região metropolitana de Belo Horizonte, têm utilizado o aplicativo de mensagens gratuitas para celulares, o Whatsapp, para fazer denúncias à Polícia Militar. Exemplo dessa prática aconteceu com uma moradora do bairro, que preferiu não se identificar. Ela denunciou a ação de homens que iam invadir a casa de sua vizinha.   

— Percebi porque nossas casas são grudadas uma na outra. Quando bateu o interfone na casa dela eu escutei na minha casa. Eu saí no portão e tinha dois caras esquisitos. A gente tomou uma iniciativa.  

Depois de chamar os policiais pelo aplicativo, a viatura chegou. Segundo a PM, os dois homens fugiram em um carro, mas bateram o veículo em um muro. Um deles conseguiu escapar pulando muros de casas vizinhas, mas o outro, Felipe Carvalho, acabou preso.  

O tenente da Polícia Militar José Geraldo da Silva, explica que o fato do Whatsapp permitir a criação de grupos de conversa é o diferencial.  

— A ideia surgiu através do monitoramento que nós militares do bairro já fazíamos, por telefone e SMS sobre arrombamentos, veículos suspeitos. Mas a gente viu que esse aplicativo aprimorava a nossa ação. Então nós formamos um grupo de militares, mas como foi dando certo a gente achou melhor expandir entre os moradores porque assim nós temos uma rede maior de informações.  

Leia mais notícias no R7 Minas   

O grupo de Whatsapp utilizado pelos militares tem acesso restrito. Só pode entrar quem é autorizado pelo coordenador. Essa é uma forma de comunicação não-oficial com a PM.  

A polícia de Lagoa Santa pretende criar grupos no aplicativo para moradores de outros bairros da cidade, mas informa que é necessário fazer as denúncias pelo telefone nos números 190 e 181.

  • Espalhe por aí:
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!
Access log
Access log