Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

12/9/2014 às 08h30 (Atualizado em 12/9/2014 às 12h01)

Preso suspeito de atacar carro da UPP Vila Cruzeiro antes de confronto que matou comandante no Alemão

Segundo a Polícia Civil, suspeito teria arremessado artefato explosivo contra viatura

Do R7

O comandante Uanderson Manoel da Silva será sepultado nesta sexta-feira (12) Reprodução / Internet

A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou nesta sexta-feira (12) ter prendido um suspeito de atacar um carro da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) Vila Cruzeiro cerca de meia hora antes de o comandante da UPP Nova Brasília, Uanderson Manuel da Silva, ser morto no Complexo do Alemão. Mais cedo, fontes da Polícia Civil confirmavam que esse homem estava envolvido no confronto que matou o comandante. Entretanto, a Polícia Civil informou, por volta das 11h30, que, a princípio, esse suspeito não tem ligação com a morte.

Cassiano da Silva Harris, de 20 anos, foi preso por policiais da 22ª DP (Penha) na madrugada desta sexta na Vila Cruzeiro, comunidade vizinha ao Alemão. Ele foi reconhecido por policiais militares como autor do ataque a uma viatura da UPP da Vila Cruzeiro, ocorrido na tarde de quinta-feira (11). Segundo a polícia, ele teria arremessado um artefato explosivo.  

Contra Cassiano foi cumprido mandado de prisão pelos crimes de tentativa de homicídio, tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas.

Comandante da UPP Nova Brasília é morto

Uanderson Manoel da Silva foi atingido por um tiro no tórax durante confronto com suspeitos de tráfico de drogas no Complexo do Alemão. O policial militar chegou a ser levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no centro cirúrgico.

Segundo a CPP (Coordenadoria de Polícia Pacificadora), policiais do GIT (Grupo de Intervenções Táticas da UPPs), do Bope (Batalhão de Operações Especiais), de outras UPPs e de outros batalhões, além de 300 policiais em RAS (Regime Adicional de Serviço) — o agente recebe um valor adicional ao salário para trabalhar em dias de folga — reforçavam a segurança no Complexo do Alemão, na manhã desta sexta.

Nesta madrugada, o clima era tenso no conjunto de favelas. Foi registrado um tiroteio na comunidade Fazendinha. PMs da UPP faziam patrulhamento e foram atacados por suspeitos. Ninguém ficou ferido.

O governador Luiz Fernando Pezão se solidarizou com a família do policial e reafirmou que a "política de pacificação veio para ficar"   — Vamos formalizar a permanência do Exército na Maré para darmos continuidade ao processo de pacificação na comunidade com a futura instalação de UPPs. As unidades têm sofrido ataques de marginais que tentam a todo custo desmoralizar o programa. Tentativas como essa não nos intimidam.

Casado e pai de menina de 7 anos

Ele estava havia 11 anos na Polícia Militar e trabalhou nos batalhões de Bangu, Duque de Caxias e Irajá, antes de assumir o comando da UPP Nova Brasília, três meses atrás. Uanderson da Silva era era casado e tinha uma filha.  

Silva foi atingido por volta das 17h30, na localidade conhecida como Largo da Vivi, no segundo tiroteio ocorrido na tarde desta quinta no Alemão. Mais cedo, por volta das 14h30, houve um tiroteio na localidade Campo do Seu Zé.  

Segundo a CPP (Coordenadoria de Polícia Pacificadora), os policiais faziam patrulhamento da localidade quando bandidos armados atiraram contra a equipe. Os PMs revidaram e os criminosos fugiram, deixando para trás 58 papelotes de cocaína, dez pedras de crack e duas motos.

  • Espalhe por aí:

Vídeos

Carregando

Twitter

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!