Chuvas elevam os níveis dos mananciais em SP; comportas do Cantareira podem ser abertas

Segundo o governo, prefeitos de Franco da Rocha, Caieiras e Cajamar foram alertados

Comportas do Cantareira podem ser abertas devido ao volume
Comportas do Cantareira podem ser abertas devido ao volume Divulgação/ Sabesp

Depois de passar os dois últimos anos com os níveis extremamente baixos por causa da estiagem prolongada, os seis mananciais de abastecimento de água administrados pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), tiveram uma recuperação expressiva no nível dos reservatórios, diante do excesso de chuva que tem sido registrado no Estado de São Paulo.

No Sistema Cantareira, uma das principais fontes de abastecimento da capital e cidades próximas, o volume de chuva em junho já supera mais de três vezes o esperado para o mês inteiro, acumulando 175,5 milímetros (mm) ante 58,1mm da marca histórica. Entre 9h de segunda-feira (6) e 9h desta terça-feira (7), a captação atingiu 45,7 mm, elevando de 69,9% para 72% o nível da capacidade de operação.

Há um ano, o Cantareira, que abastece 7,4 milhões de consumidores, operava com deficit de 9,1%, utilizando o volume morto (água que fica abaixo do nível de captação das comportas). A Sabesp deixou de bombear a água do volume morto para tratamento e distribuição apenas em dezembro do ano passado, mas ainda sob a sombra dos efeitos da crise hídrica, com a necessidade de contenção no consumo.

Nos demais mananciais, o quadro também é bem mais confortável do que há um ano, embora ainda exija cautela no consumo no caso dos consumidores do Alto Tietê , onde a recuperação do nível ainda está abaixo da metade de sua capacidade de operação. Nas últimas 24 horas, até as 9h de hoje, o Alto Tietê teve elevação do nível, de 43,2% para 44,8%. Nesses primeiros seis dias, choveu sobre o sistema bem mais (131 mm) do que o dobro do esperado (55,2 mm).

No Sistema Guarapiranga, que opera com 91,9% de sua capacidade, a pluviometria acumulada é de 81,2mm ante a média de 53,5mm; no Alto Cotia com nível em 105,3% da capacidade, o volume de chuva atingiu 154,2mm ante a média de 56,9mm; no Rio Grande com nível de armazenamento em 83,6%, a captação de chuva soma 113,4 mm quase o dobro do esperado (60 mm); e, no Rio Claro com nível em 103,1% da capacidade, as cheias acumulam 141,6 mm ante 97,5 mm do esperado.

Comportas abertas

O nível do Sistema Cantareira, principal manancial de abastecimento da capital paulista e da Grande São Paulo, subiu 2,1 pontos porcentuais nesta terça-feira. O manancial opera com 72% de sua capacidade, segundo índice divulgado pela Sabesp. Por causa da intensidade das chuvas — a pluviometria foi de 45,7 mm no dia, quase toda a média histórica mensal, de 58,1 mm —, a Defesa Civil Estadual alertou para o risco de abertura das comportas das represas do sistema.

A medida é acionada preventivamente quando a represa chega ao limite de 745 metros e 25 centímetros. Após a cota, a Sabesp comunica a Defesa Civil, que busca as prefeituras e defesas civis municipais. Segundo o governo estadual, os prefeitos e autoridades públicas de Franco da Rocha, Caieiras e Cajamar foram alertados.

A Defesa Civil informou ainda que criará um gabinete de crise na Escola Superior de Bombeiros para organizar ações emergenciais caso ocorra a abertura das comportas da represa.

Experimente: todos os programas da Record na íntegra no R7 Play